8 Jeitos de mudar o mundo – Alguém lembra disso?

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

8 Jeitos de mudar o mundo – Alguém lembra disso?

Para discutir questões ambientais é necessário explorar argumentos, no caso, o projeto deste portal em que estamos disseminando, publicamos aqui materiais para vocês usuários refletirem sobre as mais variadas questões do meio ambiente e chegar à conclusão de que temos que mudar nossas atitudes para continuar existindo planeta Terra, e após essa conclusão que um usuário irá se cadastrar e passar a apoiar este projeto. Talvez fique entre mais um dos muitos projetos para salvar o mundo, que foi inútil, mas contamos com a ajuda de todos vocês para fazer deste um forte projeto.

Além dos argumentos que abordamos para então os usuários passarem a apoiar este site, dispomos também da tecnologia, a internet a nosso favor, de modo que os usuários que apóiam este projeto, ao se cadastrarem entram nas estatísticas, podendo analisar se há uma grande quantidade de pessoas que representa a maioria da população a favor do meio ambiente, que estão preocupadas com as questões ambientais e preservam a natureza, e desejam realizar mudanças para salvar todo planeta de futuros desastres ambientais em áreas cada vez mais amplas. Já analisando o projeto dos “8 jeitos de mudar o mundo”, até podia ter uma grande quantia de pessoas interessadas nisso e levando a sério os vagos itens abordados, mesmo sem saber por que ou o como especificamente tomar uma determinada atitude, mas quem iria saber quantas pessoas exatamente apoiavam esta idéia e levavam a sério praticando essas atitudes? Como iria pressionar as autoridades demonstrando que muitas pessoas estão interessadas em mudar o mundo? Afinal, não dispõe de nenhum meio tecnológico para exibir as estatísticas desse, na verdade, “mini-projeto”. Mini, pelo fraco conteúdo abordado, de apenas citar alguns itens, dando idéias vagas e que não necessariamente tinha a ver com o meio ambiente, mas também com questões sociais como a desigualdade entre classes ou sexo, que são tão complexas quanto as questões ambientais. Mas foi muito bom pela ampla divulgação que teve, passando a ser publicado através de diversas mídias, como impressa ou televisiva em muitos locais. Mas o que faltou, é a maior utilização dos meios tecnológicos para promover o conhecimento e conscientização mais adequada, da importância de se mudar o mundo, e não apenas naqueles mal citados 8 jeitos, mas sim, abordando através de um site, vários conteúdos como estamos fazendo, seja através de textos informativos, artigos que expressam opiniões de autores ou comentários publicados pelos usuários referentes a algum conteúdo, seja também através de fotos, filme, música, poesia, mas enfim, conscientizar de forma real, objetiva e clara o motivo da preservação ambiental e soluções cabíveis e mais desenvolvidas para contribuir com a natureza.

Vejam os oito jeitos de mudar o mundo que eram, na verdade ainda são dissipados neste mini-projeto na imagem abaixo:

Oito jeitos de mudar o mundoApesar de este projeto ter um site (www.nospodemos.org.br), não aborda conteúdos técnicos neste meio de comunicação (a internet), apenas explicavam um pouco sobre a idéia do projeto, idealizadores, patrocinadores e ponto final. Se chegou tão longe, provavelmente muito se investiu, por que não ir um pouco mais a longe e investir em um site, com um grupo de especialistas para desenvolver e discutir assuntos polêmicos e importantes sobre o meio ambiente e divulgar informação, conhecimento e propostas mais desenvolvidas? Talvez por exatamente não querer se expor com um conteúdo tão temático, que poderia causar conflitos com órgãos do governo, ou seja, por medo, por falta de atitude. Não devemos ter medo, devemos criticar com coragem, desde que, com respeito! Só assim, através de um forte senso crítico poderemos mudar qualquer coisa que consideremos fundamentais. E para esclarecer, essas propostas desses 8 jeitos, foram estabelecidos pela ONU – Organização das Nações Unidas – em 2000, ou seja, força e investimentos não faltariam, mas realmente a coragem restringe as atitudes.

Apenas comentando rapidamente sobre o site deste mini-projeto, o item 7 desses 8 jeitos de mudar o mundo, que tem como item: “qualidade de vida e respeito ao meio ambiente”. Nossa! Que projeto incrível! O idealizador destaca em um único item, duas questões que precisam de um livro para discutir, informar, conscientizar e propor soluções. Uma das questões é qualidade de vida, que precisa desenvolver muito mais isso que está relacionado a “N” motivos, podendo ser qualidade de vida em relação ao trabalho, meio ambiente, sociedade, consumo de alimentos, viagens, produtos que lhe dão prazer, e mais uma infinidade de itens que só ao cita-los já seria mais conteúdo do que tudo que tem no site desse – desculpe o termo para os fãs – “projetinho” e a outra questão do item 7 é o respeito ao meio ambiente, que em uma semana do projeto AmaNatureza, já discutimos essa questão abordando vários pontos em cerca de 10 artigos cada um com uma quantidade média de 3 ou 4 páginas se for imprimir no mesmo tamanho da fonte que estão publicados. Isso que é resumo! Por isso tem de definir um foco e não deixar jogados no ar estes itens. Mas calma, na verdade nestes itens tem um link, pois neste site, ao clicar no link, abre uma descrição mais explicativa sobre cada item dos 8 jeitos. Ainda discutindo o item 7, vejam o que eles explicam (trechos destacados são meus comentários):

“7. QUALIDADE DE VIDA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE

O desmatamento, o desperdício de água e a produção excessiva de lixo são alguns dos problemas mais graves enfrentados pela humanidade. Cuidar do meio ambiente deve fazer parte de nosso dia-a-dia.

Apesar de o Brasil ter aproximadamente 12% de toda a água doce do planeta, 22 milhões de pessoas não têm acesso a água de boa qualidade. A água é um recurso natural renovável: rios, lagos e lençóis subterrâneos são capazes de repor seus suprimentos, desde que a humanidade não os esvazie rápido demais ou os contamine. (as informações acima podem ser encontradas em qualquer blog de aluno do ensino fundamental).

SUGESTÕES DE AÇÕES: (essas realmente são incríveis, leiam com atenção)

Fazer campanhas de uso racional de água e energia;

Plantar árvores na escola é uma ótima maneira de cuidar da natureza;

Plantar árvores nas ruas também é importante, porém é preciso pedir licença à prefeitura e aos moradores;

Implementar a coleta seletiva na escola e no bairro e divulgar o benefício de produtos biodegradáveis ou recicláveis;

Realizar mutirões de limpeza e rearborização de praças, rios e lagos.”

Que excelente explicação! Isso é tudo que eles desenvolveram nessa questão tão complexa. Aliás, onde está a qualidade de vida? Pois aí falaram do respeito ao meio ambiente. Mas leitores, peço que por gentileza não dêem risada das soluções de ações propostas pelo “8 jeitos”, por uma questão de respeito a uma tentativa que até foi boa, mas pouco encorajada a desenvolver-se. Para os leitores que ainda não entenderam o motivo de achar as soluções de ações propostas uma piada, então analisem de novo, e vejam, fazer campanhas de uso racional da água e energia! Realmente é uma sugestão tão bem desenvolvida, mas mesmo assim dá pra imaginar o que eles desejam, agora vocês acham que mais campanhas de conscientização ainda são necessárias e realmente alguém vai se conscientizar? Se não explicar e desenvolver detalhadamente o motivo de usar racionalmente recursos naturais como a água, expondo a situação do planeta, tudo fica no ar. Com certeza, com o sistema de reuso da água, economiza muito mais água do que tomar o banho com 5 minutos a menos.

Agora o esquema de plantar árvores, foi muito inteligente. Quem iria pensar nisso? Simplesmente agora que eu li isso, vou ir comprar umas mudas de árvores e sair plantando agora mesmo árvores em escolas, ruas, ah, e lógico, lembrando de pedir a licença. Temos que ter outra idéia, de além de ajudarmos fazendo o necessário e possível, devemos pressionar as autoridades e o governo a planejar as cidades com áreas verdes equilibrando as construções, etc.

Sobre a coleta seletiva, reciclagem, por que são importantes? Aliás, o que é coleta seletiva? Não é o mesmo que mandar o lixo pro lixão? Se não lerem o artigo completo publicado no AmaNatureza, sobre as propostas de soluções mais desenvolvidas, até agora estaria sem entender.

E sim, vamos realizar mutirões de limpeza e novamente a idéia da rearborização de todos os locais, como se eu não tivesse outros trabalhos para fazer ou se o mutirão de limpeza não é uma atividade que o governo deve fornecer as pessoas. Por isso se ainda não fornecem a limpeza adequada, temos de pressiona-los para implantarem esses sistemas necessários.

O que poderia ser feito para que esta idéia se transformasse de mini-projeto para mega-projeto, é que a imagem dos 8 jeitos de… (bom você já sabe), que continuasse sendo publicada e divulgada, em sacolas de supermercado, adesivos para carro, imãs para geladeira, outdoors, continuasse também sendo transmitido na tv, rádios, entre outros meios tecnológicos, enfim, qualquer meio de comunicação desde que essa idéia chegasse ao maior número de pessoas, mas que fosse mantido um site, juntamente com uma instituição e com profissionais especializados no assunto referente à ecologia para discutir sobre as diversas possibilidades e temas sobre este conteúdo para conscientização da utilização e preservação do meio ambiente, para diminuir os impactos ambientais, e passar a publicar este material em livros, revistas, folhetos, jornais, e inclusive na internet, para finalmente tratar de um tema complexo dando a importância necessária e através disso, desenvolver um projeto de apoio ao meio ambiente pela população.

Infelizmente, as idéias param no parágrafo anterior, pois em nenhum momento encontramos algum mega-projeto, completo como citado. Algumas instituições como Greenpeace, WWF, fazem uma boa tarefa, de desenvolver assuntos mais complexos abordando em detalhes, e com instituições que participam de atividades em proteção ambiental, além de toda divulgação que fazem de seu material, mas não tiveram a idéia de que as pessoas pudessem fortalecer este órgão, e passar a participar ativamente das discussões que abordam e dessa maneira pressionar autoridades. Talvez não exatamente não pensaram, que certamente algum profissional com bom senso crítico deve lhes ter sugerido, porém não adotaram esta idéia, novamente pela falta de coragem de gerar polêmicas, confrontar com órgãos considerados mais fortes como o próprio governo e empresas que poluem e degradam o meio ambiente mas que certamente são consideradas “intocáveis”, então é exatamente isso que essas instituições não fizeram, que nós, profissionais especializados na área ambiental, estamos desenvolvendo através do projeto AmaNatureza.com.

Mas se anteriormente foi citado que não existe nenhum mega-projeto na atualidade, o que falta para o AmaNatureza? Por estarmos no começo, com o projeto publicado oficialmente a pouco mais de uma semana (vide data deste artigo), ainda não temos esta idéia divulgada, de modo que esperamos em breve crescermos gradativamente com o apoio cada vez maior por parte dos usuários para fortalecer este projeto e ser além de uma idéia pioneira, estar também se aproximando de um mega-projeto ambiental que visa através dos mais variados meios de telecomunicação, tecnologia, impressos e populares tornar uma divulgação muito ampla que atinja o maior número de pessoas e que passem a conhecer pelo menos os mais básicos assuntos ambientais, de modo que mesmo que não apóiem o projeto, mas que pelo menos a informação chegue a estas pessoas, de forma que possam um dia ser eventualmente criticadas por não protegerem o meio ambiente, não por falta de informação, nem conscientização, mas por falta de vontade, ou displicência.

E por que se aproximar de um mega-projeto e ainda não ser um mega-projeto? Isso, pelo fato de não termos uma instituição própria a favor do meio ambiente, uma empresa que saia do lado virtual, fortalecendo ainda mais as idéias deste projeto. Que por sinal, nada impede que isso aconteça, mas precisamos do apoio de pessoas, tanto usuários como empresas que também podem patrocinar este projeto através de doações ou alguma outra proposta que desejem combinar, para então concretizar a idéia completa de um mega-portal e estarmos cada vez mais perto de salvar o mundo, não em 8 simples e vagos jeitos, mas sim com muito esforço, trabalho, dedicação e luta.

– Não tenha vergonha de assumir, faça parte deste projeto e ainda avise outras pessoas, não é necessário você discutir com a pessoa, apenas mande-a entrar neste site, que tudo que ela quiser discutir encontrará a possibilidade de contrapor suas idéias neste portal, e ao concordar, cadastrar-se no portal.

Pra falar bem a verdade se eu fosse um adolescente da atualidade não teria coragem de expressar para meus amigos que eu sou a favor da proteção ambiental e penso nessas questões, não por falta de personalidade, mas é comum nesta idade, pelo medo de rejeição de um grupo social ou até perseguições de maus tratos que possam lhe agredir psicologicamente ou até fisicamente. De fato isto é comum, mas é aí que encontramos a vantagem da internet. Você não precisa assumir, ou se identificar para indicar este projeto a um conhecido. Em breve, você poderá indicar este projeto anonimamente, mas somos severos em relação a esta prática, de modo que nosso sistema está sendo desenvolvido e programado para permitir que um usuário cadastrado faça apenas uma indicação por dia para um amigo anonimamente, para com isso, evitar práticas como spam, enviar mensagens indesejáveis para pessoas desconhecidas. Já em relação às indicações por usuários cadastrados que se identificam, estas estão liberadas, mas não comece a mandar mensagens de indicações para 500 milhões de pessoas mesmo sem conhecer, pois isto acarretará em spam e temos total controle sobre isso, de modo que iremos analisar o caso, e se confirmar à idéia de spam o usuário será advertido e poderá até ser excluído, já que após 5 indicações diárias, as próximas não são enviadas e sim armazenadas em nosso banco de dados, até receber a autorização de algum administrador, evitando qualquer possibilidade de spam. E este sistema contra spam já está concluído e em utilização.

Caso alguém não concorde com a crítica feita ao projeto: “8 jeitos de mudar o mundo”, então critique, argumente sua opinião, moramos em um país em que todos são de livre expressão, então podemos concordar ou discordar de qualquer coisa, que será muito interessante outras pessoas expondo opiniões contrárias a minha, pode ser até que eu mude de idéia se me convencerem da utilidade deste 8 jeitos… “Alguém” viu “algum” resultado desse projeto 8 jeitos de mudar o mundo?

Talvez eu tenha sido muito rigoroso com a crítica aos 8 jeitos de mudar o mundo, mas que realmente nesses 8 jeitos faltou desenvolver muitas idéias e abordar melhor os conteúdos, isso com certeza deixou a desejar, e muito, mas como eu já disse nada impede de achar esse projeto 10 vezes melhor do que o AmaNatureza, desde que explique o por quê.

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.