Conseguiremos ou não?

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Conseguiremos ou não?

O Ambientalismo engloba, sem dúvida, uma enorme e variada gama de assuntos. . . e, enquanto tema polêmico e ascendente, carinhosamente abriga em seu ventre uma rica e diversificada fauna de simpatizantes, colaboradores e ativistas.

E, por favor, não tomem o termo “fauna” como ofensivo. . . afinal, somos todos parte da Natureza, não somos?

Sim, há ambientalistas de muitas matizes; James Lovelock no ótimo A Vingança de Gaia (Editora Intrínseca, 2006) escreve:

“Os pensamentos e idéias dos verdes são tão variados e competitivos como as plantas de um ecossistema florestal e, ao contrário das plantas, nem sequer compartilham a pureza espectral da cor da clorofila. Os pensamentos dos verdes variam de tons vermelhos a tons azuis. Os verdes totalitários, às vezes denominados ecofascistas, gostariam de ver a maioria dos outros seres humanos eliminados num genocídio, deixando assim uma Terra perfeita só para eles (quando escreveu este livro, o Sr. Lovelock ainda não devia ter ouvido falar do pessoal do VHEMT). Na outra extremidade do espectro estão aqueles que sonham com um mundo onde prevaleçam o bem estar e os direitos humanos e, de algum modo, esperam que a sorte, Gaia ou o desenvolvimento sustentável transforme o sonho em realidade.”

De minha parte, eu dividiria os ambientalistas em dois grandes grupos:

– Os otimistas, que são aqueles que acreditam que seremos capazes de evitar o colapso civilizacional;

– Os pessimistas, que são aqueles que acreditam que o colapso é inevitável.

Convencionemos que “colapso civilizacional” possa significar tanto a extinção da humanidade como uma drástica redução (de 50% ou mais) na atual população de humanos.

Bem, se a maioria das pessoas está otimista em relação ao futuro do Homo sapiens isto pode ser bom, porque otimismo é combustível indispensável para a tenacidade na árdua luta em prol do meio ambiente. Porém, muito otimismo pode significar também que as pessoas não estejam atribuindo aos problemas ambientais a magnitude devida; e, neste caso, podem estar tanto subestimando os problemas como superestimando a capacidade do homem em saná-los.

E se a maioria das pessoas estiver pessimista? Bem, isto pode não ser necessariamente de todo ruim, uma vez que pessimismo, neste caso, poderia indicar que as pessoas estão cientes do quanto nosso modus vivendis está impactando negativamente no ambiente que nos rodeia.

Tendo o posto, ouso perguntar a cada colega e a cada leitor do AMAnatureza: você está otimista ou pessimista?

Sobre

Antonio RadiEngenheiro Agrônomo/Representante ComercialVer todas as publicações de Antonio Radi »

  1. AntídioS.P. Teixeira
    AntídioS.P. Teixeirajul 20, 2009

    Caríssimo Radi:
    Sua consulta equivale àquela que é feita nos meios religiosos:”você acredita em Deus?” para responder à esta pergunta, é necessário que se leve em consideração a concepção divina de cada um.
    A questão ambiental é tão ampla e complexa quanto o próprio Deus. Você vai encontrar alguns poucos ambientalistas que conseguiram desenvolver a concepção real e vêem o problema como “um todo”. Porém, a maioria enxerga partes do problema e entendem que eles sejam o “todo ambiental global”. Sou otimista se a mídia, por milagre, conscientizar a humanidade quanto a necessidade de se neutralizar a causa fundamental de todos os problemas ambientais e começar um trabalho de remoção de seus efeitos; porém, sou pessimista porque o conserto dependerá da abolição do sistema financeiro que passou a dominar o mundo com a máscara de “econômico”, e os seus detentores não abrirão mão dos privilégios que auferem com tal sistema.

  2. Antonio
    Antoniojul 20, 2009

    Prezado Antídio:

    Minha opção por encerrar o artigo com um questionamento dirigido a todos é uma tentativa de elevar a interatividade entre leitores e autores. Afinal, tenho observado que o número de acessos é bem superior ao número de participações escritas.
    Quanto a seu comentário, se entendi bem, Antídio, você está pessimista. . . como você mesmo diz, só um “milagre” o deixaria esperançoso em relação ao nosso futuro.
    Agradeço vosso comentário e vossa resposta à minha pergunta.

    Antonio Radi

  3. Jânio Pereira
    Jânio Pereirajul 25, 2009

    “Tendo o posto, ouso perguntar a cada colega e a cada leitor do AMAnatureza: você está otimista ou pessimista?”

    Sou realista, por isso, estou pessimista em relação a toda degradação ambiental que o planeta está sofrendo por um consumismo desenfreado e práticas de sustentabilidade, em sua maioria, voltadas exclusivamente aos interesses comerciais de empresas que desejam passar uma marca de ecologicamente correta para marketing e consequente maximização dos lucros, como a Petrobras.

    Não tenho medo de dizer o que penso, mas acho difícil reverter essa situação, apesar de vermos atitudes excelentes como o projeto AMAnatureza e ambientalistas e profissionais da área dedicados, embora, poucos, como já discutidos em outros artigos aqui no AMA.

    Dessa maneira, do mesmo jeito que digo com toda certeza e tranquilidade que não acredito em Deus, também não acredito na recuperação do estado natural de equilíbrio ambiental e sim em catástrofes, não uma única fatal, mas sim várias que irão se tornando mais frequente e aumentando sua intensidade com o decorrer das décadas.

    E antes que me perguntem, porque não acreditar em Deus, porque tanto pessimismo, que na verdade é realismo? Simples, não gosto de me apoiar em mentiras criadas pela sociedade para nos dar esperança, sou a favor da ciência, fatos comprovados com experimentos, testes, embasamento teórico e prático. Agora nenhuma religião tem qualquer prova científica de realismo ou verdade. Creio que já estamos bem crescidos para ter amigos imaginários e ficar usando a fé divina como desculpa para desviar de nossos atos. Eu tenho fé sim, fé em mim e nas pessoas que eu vejo, que existem, que são reais e realizam ações concretas. Religião, nada mais é do que um meio para pessoas que fazem coisas ruins não se sentirem culpadas e pessoas que fazem coisas boas, poderem fazer coisas ruins, e pessoas que não fazem nada, se sentirem confortadas na falsa esperança que irá melhorar.

    Quanto ao aquecimento global e falsas práticas de sustentabilidade, estamos vivendo numa fase semelhante a religião, ambos com objetivos lucrativos no mundo capitalista que também é um péssimo sistema econômico, onde a máxima seria: “Consiga o máximo de dinheiro possível, sem importar como.” Ou seja, sem importar com meio ambiente, sociedade, animais, vidas, cultura etc.

    O grande problema do Brasil, este lindo país, porém muito mal administrado politicamente, é o fraco senso crítico da grande maioria da população que é influenciada pelos meios de mídia massivos e não se perguntam “por que” para aprofundar em assuntos, críticas, elaborar opiniões próprias, discutir com outras pessoas com o mesmo conhecimento e poder influenciar melhores ações e acabam se sentindo conhecedores suficientemente de um assunto, com a limitada informação dos meios populares que recebem. Por que isso ocorre? Não é exclusividade desse país, mas aqui a edução é péssima, devido a baixos investimentos nessa área, e tudo para exatamente ter uma grande massa, que pode ser equiparada a uma massa bovina que segue o caminho a qual é submetido, sem questionamentos, afinal esse é o grande interesse político para receber votos e, generalizando, sem precisar fazer qualquer bem feitoria real para a sociedade. E de interesse comercial também, para vender mais para pessoas que são facilmente influenciadas pela mídia e tudo isso forma um grande desequilíbrio, não só ambiental, mas social, em que políticos e empresários crescem com seus ganhos financeiros e em contrapartida temos uma população cada vez mais empobrecida culturalmente e financeiramente e essa relação prejudica o meio ambiente.

    Sei que não posso me considerar especialista no assunto de gestão ambiental, por não ter uma formação específica nessa área, mas como conhecedor de muitas práticas empresarias, comerciais e sociais estou certo de minhas afirmações aqui expostas.

    Gostaria da continuação dessa discussão com a excepcional equipe desse projeto.

  4. mgomide3
    mgomide3jul 25, 2009

    Caro Jânio,
    Parabéns pela independência racional na exposição de suas idéias. A questão principal, no meu entender, não é se somos pessimistas ou otimistas, mas realistas. Aí está a questão. E você se mostrou bastante realista e livre no comentário acima. Poderia você lavrar um artigo e traze-lo para comentários. Merece.
    Gostaria que você lesse meu livro “Agora ou Nunca Mais”. Por favor, entre em contato comigo pelo e-mail mgomide2@gmail.com
    Apareça sempre neste blog. Precisamos fortalecer a defesa de nosso mundo.

  5. Antonio Radi
    Antonio Radijul 25, 2009

    Bem, parece que meus colegas (posso chamá-los assim?) Antídio, Jânio e Maurício não estão muito animados com o futuro da humanidade, não é mesmo? Ainda assim, você Jânio e você Maurício, não julgam-se pessimistas. . . ambos intitulam-se “realistas”. Eu, particularmente, não gosto do termo; “ser realista” soa como “ser dono da verdade” e no mundo, meus caros, há muitas verdades. . . afinal, cada um tem sua.
    Eu, de uma forma mais modesta e menos enfurecida, concordo com vocês. . . um colapso civilizacional é quase inevitável. Ora, então porque estou aqui escrevendo e debatendo temas ambientalistas? Se vamos todos para a cucuia, não estaria eu perdendo meu tempo? Eu diria que não. . .
    A luta vale e vale muito a pena, e vale muito a pena por duas razões:

    1) Eu posso estar equivocado e, neste caso, a humanidade conseguirá mudar de rumo (radicalmente e a tempo) e evitar o desastre;

    2) Eu posso estar certo e, neste caso, vamos mesmo “dançar”. Mas talvez – e apenas talvez – o trabalho persistente e incansável dos ambientalistas possa nos proporcionar um pouco mais de tempo. . . algumas décadas, quem sabe alguns séculos. E isto gente, na minha opinião, já seria uma vitória.

    Persito, então, no que penso ser um “bom combate”.

    Grato,

    Antonio Radi.

  6. mgomide3
    mgomide3jul 26, 2009

    Caro Antonio,
    Quando nos dizemos realistas, queremos dizer que a degradação planetária é um fato. Como? Sim, colocamos nessa análise toda a capacidade dos seis sentidos humanos (5 instrumentos sensoriais biológico e mais o sensor mental, racional). Daí, concluímos que estamos diante de uma situação real. O conhecer pela razão, a tomada de consciência e a objetividade de avaliação de um fato não implica “ser dono da verdade”. Sabemos, perfeitamente, que ambos os termos não se podem corresponder. “Realidade” ambiental planetária é isso aí a que percebemos na nossa vivência. “Verdade” tem acepção mais ampla, de sentido filosófico a que nos devemos submeter. “Verdade”, em termos absolut0s, não existe. Toda “verdade” é relativa e é expressa como sendo oposta a ficção.
    Entendo que faltou, em sua observação, um terceiro motivo pelo qual devemos continuar a lutar: o descargo de consciência.
    Afinal, somos parte da comunidade humana; não podemos e não temos como negar nossa espécie. Justamente por isso, temos a obrigação de alertar, reclamar, esclarecer, acusar, debater, gritar, clamar, sobre a insensatez com que estão tratando nosso planeta.

  7. Antonio
    Antoniojul 26, 2009

    Pôxa, Maurício!!! Neste exercício de sinonímia suplantastes até o “Aurélio”!!!

    Grande Abraço,

    Antonio.

  8. mgomide3
    mgomide3jul 28, 2009

    Obrigado, caro Antonio.
    Afinal, com meus comentários, estou tentando valorizar mais ainda sua entrada triunfante no ról de articulistas do blog. Com isso, creio que vou, aos poucos, criando um clima favorável a que outros leitores se entusiasmem e se manifestem também, enriquecendo assim seu trabalho.
    Um abração. Maurício Gomide

  9. aldecir
    aldecirago 06, 2009

    eu sabia que isso ia acontecer!
    eu venho acompanhando esse site e logo apos postarem o incredulu comentario pouco acima (de Jânio Pereira) dizendo a maior mentira do universo esse site saiu do ar. Essa é sim a prova mais croncreta de que Deus existe!

    Deus nao gostou quando viu esse comentario maldoso nesse site e decidiu tirar o site do ar. voces pensam que eu nao vejo, mas eu vi, todos os dias entrando aqui e acompanhando silenciosamente o que voces dizem e nao acreditei ao ler o comentario de um ateu (atoa). mas nao quis responder pq eu sabia que a força maior iria cuidar desses mentirosos.

    alias, pq voces tem medo? os problemas ambientais ja estavam planejados por deus em sua biblia. ele sabia que os homen iam poluir, matar uns aos outros, roubar. mas tudo isso faz parte pq a vida é uma arte e inquestionavel. entao venho dizer a todos:
    NAO SE PREOCUPEN PQ TODOS OS BONS SERAO SALVOS E MUITOS RUINS ATE SERAO PERDOADOS E VIVEREMOS A VIDA ETERNA NO PARAIZO SEM POLUICAO MORTE OU COISAS DO TIPO.

    duvido mesmo o tal ateu responder meu comentario depois que a fe divina manifestou aqui. E tomem cuidade que esse site saira do ar novamente se postarem comentarios desse tipo.

  10. Jânio Pereira
    Jânio Pereiraago 07, 2009

    Prezado usuário Aldecir. Respeito sua religiosidade, mas poupe-nos dessas ideologias céticas. Aqui, estamos construindo um projeto sério, apoiado em verdades científicas, e você, talvez sem perceber, foi maldoso e me desrespeitou nesse comentário. Entendo sua raiva, é natural, provavelmente um dia você já acreditou em outras “mentiras” como papai-noel, coelhinho da páscoa, amigos imaginários etc. Não foi difícil para você, quando criança inocente e feliz, descobre que não existem essas figuras? Segue a mesma idéia, ao descobrir que uma história apoiada por séculos e por grande parte das pessoas é uma falácia.

    Não sou eu quem digo isso, são muitos filósofos, pensadores realistas, cientistas e pesquisadores, com base em provas e fatos reais, comprovados com base em testes e experimentos.

    Quanto ao seu comentário, não apenas a mim, mas você desrespeitou outros colegas com sua visão inteiramente religiosa. Você deixou a razão e utilizou-se apenas da emoção para expor sua visão. Discussões são importantes, desde que mantendo respeito e visando engrandecer o espírito crítico de cada um, buscando por realidades.

    De fato, esse site saiu do ar por alguns dias, 1 ou 2 semanas depois de quando postei meu comentário. Deus tirou o site do ar? Por favor, não sou nenhum grande conhecedor de áreas tecnológicas ou internet, mas fazendo pesquisas realistas e comprovadas, você poderá encontrar facilmente no Google, que este site está hospedado em um servidor on-line, ou seja, para você acessá-lo, é necessário ter conexão direta com um servidor, que é como uma CPU bem robusta, ligada 24 horas por dia com conexão de alta velocidade. Quando ocorre um problema nesse servidor o site fica fora do ar, pois não irá exibir os “arquivos” do site para os usuários que estão acessando, devido ao problema de conexão ou instabilidade.

    As vezes, quando um site recebe muitas visitas e tem um crescimento explosivo, como pode ser o caso desse projeto, o servidor não suporta tantos acessos e ocorre uma espécie de travamento e então retornam após alguns dias.

    Outras hipóteses, é que, provavelmente trata-se de um serviço pago e pode ter ocorrido alguma falha do setor financeiro da equipe desse projeto e deixar alguma mensalidade do servidor pendente e o site foi bloqueado temporariamente, ou como até foi vista uma mensagem aqui “Estamos trocando o servidor”, ou seja, eles poderiam estar migrando os arquivos do site para uma outra CPU mais robusta, o que certamente levaria mais tempo até transferir todo o site.

    Enfim, espero que agora você já esteja convencido do que tirou o site fora do ar. Agora, seguindo seu raciocínio, que sem querer ser rude, considero um tanto quanto imaturo, se Deus tirou esse site do ar, quem voltou o site ao ar? Forças malígnas, que ficam “lá em baixo da terra, onde é tudo muito quente”? Afinal, se eu fosse Deus e visse um comentário dizendo que eu não existo, eu tiraria o site do ar, mas também não voltaria mais.

    Desculpe a ironia, mas não consigo acreditar que grande parte das pessoas ainda segue seu raciocínio.

    Espero continuar a discussão com você e ouvir seus sábios dizeres, com uma ortografia um tanto quando razoável para se entender, pois carece de algumas marcações gráficas como acentos e pontuações, mas não entenda isso como um desrespeito e sim como uma crítica construtiva.

    Obs.: mgomide, terei o maior prazer em ler seu livro. Assim que eu tiver um tempo mais livre, eu entro em contato com você. Obrigado.

  11. aldecir
    aldecirago 13, 2009

    Meu deus do ceu!
    nem sei como começar a escrever aqui. primeiro creio que eu deva pedir desculpas e entao é isso que estou fazendo peço desculpas a todos pela minha mentalidade que eu demonstrei anteriormente.

    realmente janio quando terminei de ler sua resposta fiquei alguns dias sem responder seu comentario pois me senti exatamente como voce descreveu o exemplo do papai noel eu estava pasmo sabendo que estou diante de uma verdade que deus de fato nao existe mas me senti pessimo por sustentar uma mentira dessas por tanto tempo e me apoiar nessa falsidade para nao ter que me responsabilizar pelos meus atos.

    parece que voce adivinhou, uma semana depois que voce postou estorou a maior discussao na televisao sobre a fraude da igreja universal com desvio de verba e todo dinheiro que eles arrecadam so enganando as pessoas com fraco senso critico e eu confesso do mesmo jeito que EU fui sim enganado nao dei tanto dinheiro assim mas perdi um bocado com dizimos e enganaçoes do tipo.

    Obrigado por me corrigir na minha gramatica acho que era falta de costume de escrever em um lugar serio na internet acabei me acostumando com girias e abreviaçoes da internet mas percebi que aqui é algo bem mais serio apesar de eu ter achado tambem que todos os acentos ja tinha sumido na reforma ortografica mas pesquisei melhor e vi que nao é bem assim por isso vou aprimorar melhor minha gramatica e digitacao essa critica foi muito construtiva para mim que estou com uma mentalidade completamente reformulada e realista graças a voces desse projeto por isso sou inteiramente grato vou tentar agora alertar outras pessoas e indicar o ama para entenderem melhor principalmente o link desse assunto.

    E me desculpem pela ironia da primeira linha, mas como prova que realmente não mais acredito nessas mentiras, nao escrevo mais deus com a letra maiuscula.

    voltando ao tema principal desse site vou me dedicar muito mais a preservaçao ambiental pois sei que nao existe um deus que salvara tudo pois nos somos esse deus cada um de nos para mudar o mundo com açoes simples mas conscientes como voces bem explicam em muitas outras paginas.

    parabens de novo e obrigado por tudo. voces sim deveriam ter uma divulgaçao bem maior que essa mentira da universal ou outras redes religiosas que sao como empresas so querem lucrar mas pior nao vendem um serviço ou produto util e sim vendem historias e mentiras para confortar a vida de muitos sofredores e fiquei com uma raiva imensa disso.

    depois de certa maneira fugir da realidade agora sim gostaria de nao parar mais essa discussao pois estou certo da verdade e me sinto muito mais seguro assim.

  12. Antídio S.P. Teixeira
    Antídio S.P. Teixeiraago 13, 2009

    Aldecir:
    Imagine, dois átomos de uma molécula integrante do fígado, do coração, do cérebro, ou mesmo da unha de um cidadão, discutindo a existência, ou não do homem ao qual integram seu corpo. Dada a desproporção de tamanho entre cada unidade atômica e o corpo do homem, é impossível que qualquer um deles tenha uma concepção deste quanto à sua forma, composição ou comportamento. Assim, também, não podemos aceitar o deus personificado dos religiosos: inteligente, justo e bondoso, etc.; mas, não podemos deixar de aceitá-lo como o somatório de todas as coisas que existem no Universo, mesmo incapacitados para interpretar a sua forma, tamanho e comportamento; pois esta concepção extrapola a nossa capacidade de raciocínio.
    Fraternal abraço,
    Antídio

  13. mgomide3
    mgomide3ago 14, 2009

    O prezado Antídio externou com propriedade e justeza a idéia da existência de uma Causa Primordial, a que não possuimos meios mentais para identificá-lo. Devemos, de tão pequenos e incapazes, curvar-nos e aceitar essa situação. O planeta Terra é um grãozinho imperceptivel na grandeza do Universo cósmico, tal como o átomo de uma unha.

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.