Economizar energia elétrica é mais importante que economizar água

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Economizar energia elétrica é mais importante que economizar água

Iniciamos com o tradicional exemplo do banho, citando o chuveiro, um consumidor “dobrado”, consome água e energia elétrica. Em um banho comum de 20 minutos, a água jorrada é cerca de 100 litros, e analisando a energia consumida, num chuveiro de 3600 Watts de potência para o banho com o mesmo tempo do exemplo, também é gasto quanto de energia elétrica? E quanta água é necessária para gerar esta energia? Alguém já parou para pensar nisso? Talvez não adiante parar para pensar, pois é necessário explicar com base em cálculos físicos. Então vamos lá:

>> Quantidade de água necessária para gerar energia elétrica consumida

Observe uma conta de energia elétrica, a unidade de medida em que vem marcada é em kWh (quilo Watt hora ou kilo Watt hora), que significa que um aparelho elétrico de potência de 1000 Watts, ligado durante uma hora, consome 1kWh de energia (em uma hora, 1000 (mil) Watts são consumidos): quilo (k) = 10³ = 1000. Exemplo comum: 2 km = 2 x 10³ metros = 2 x 1000 metros = 2000 metros.

Alguém imagina o preço médio de 1kWh? Pois então vejam na conta de luz, está marcado próximo a quantidade de energia consumida em kWh, marcando a tarifa/preço de cada kWh, que tem o valor de aproximadamente R$ 0,30, isso mesmo, “apenas” 30 centavos cada 1000 Watts consumidos (variando de acordo com cada região). E ao multiplicar este valor, pela quantidade de kWh consumido, será o valor do consumo faturado, descontando o valor dos impostos como ICMS.

Ou seja, em uma residência onde é consumido mensalmente cerca de 300 kWh, o preço de energia elétrica (sem os impostos) deve ser de aproximadamente R$ 90,00: 300 x 0,30 = 90.

Vamos colocar este valor de consumo na prática do exemplo do chuveiro elétrico:
Um chuveiro comum, na posição inverno é de 3600 Watts de potência (valor utilizado para arredondar os cálculos), mas se desejar, poderá fazer com o valor exato da potência de seu chuveiro, ou de qualquer outro equipamento elétrico, que geralmente vem marcado sua potência, no próprio aparelho ou no manual, para calcular a quantidade de energia elétrica gasta.

Então se eu tomar um banho de 20 minutos neste chuveiro de 3600 Watts, e com o preço de cada kWh sendo de R$ 0,30, fazemos um simples cálculo, utilizando uma técnica física chamada análise dimensional, expondo as unidades de medidas para serem igualadas e chegar ao valor final, com base na unidade restante:

Valor final é igual valor por cada kWh multiplicado pela potência do chuveiro e o tempo do banho:

Equação 1

As unidades acima não estão igualadas, então vamos realizar mais uma etapa:
Equação 2

Então cancelamos as unidades:

Equação 2 - cort. unidades

*Explicação (conversão de unidades):

30 centavos = 0,30 reais = R$ 0,30

3600 W = 3,6 x 10³ W = 3,6 kW

20 minutos = (1 hora = 60 minutos, dividido por 3, resulta em 20 minutos) = 1/3 hora

E basta concluir a simples conta:

R$ = R$ 0,30 x 3,6 x 1/3 ou R$ = R$ 0,30 x 3,6sinal de dividir3

Valor = R$ 0,36 (36 centavos a cada banho de 20 minutos em um chuveiro de 3600 Watts de potência. Isso não é extremamente barato? Se não acredita nesses cálculos, para certificar-se, imagine agora em sua família, com 4 pessoas, cada uma tomando 2 banhos diários:

4 x 2 x R$ 0,36 x 30 dias = R$ 86,40 em 30 dias (1 mês). Este é o gasto mensal da família de 4 pessoas só com o chuveiro se cada um tomar 2 banhos por dia. Os outros gastos são de aparelhos que pouco consomem, como televisão, computador, demais aparelhos domésticos, e o que também pode ser de um gasto mais elevado é em relação ao ferro de passar roupa que tem uma potência média de 1000 Watts.

Veja a tabela abaixo dos eletrônicos e suas respectivas potências médias:
Tabela de potências de aparelhos elétricos

Desculpem os que não se interessam por áreas de exatas, cálculos, Matemática, Física, mas é bom deixar bem claro o entendimento, até mesmo porque são questões muito cobradas em vestibulares e de ótimo treino para seu raciocínio ou como curiosidade e com objetivo de comprovarmos com base em cálculos científicos quanta água pode ser necessária em nosso planeta caso não seja investido em energia alternativa. Então vamos prosseguir até concluirmos este raciocínio.

Qual o significado de Watt? Passando para outra unidade, a fim de poder novamente calcularmos com base em cálculos científicos através de análise dimensional, vamos converter Watts para Joule por segundo (J/s).

Equação 3

E cancelamos as unidades:

Equação 3 - cort. unidades

*Explicação (conversão de unidades):

W = J/s

1 hora = 3600 segundos

k = 10³

Restando mais uma continha básica:

1kWh = 1 x 1000 J x 3600

1kWh = 3.600.000 J – ou seja – cada kWh (mil Watts) consome exatos três milhões e seiscentos mil joules de energia. E qual o significado disso para o consumo de água?

Devemos calcular agora quantos litros de água devem ser jorrados de uma altura de 100 metros em uma usina hidrelétrica (geração de energia elétrica através da água que é represada) para gerar a energia consumida (ainda no mesmo exemplo) em um simples banho de 20 minutos com um chuveiro de potência de 3600 W:

Energia consumida é igual a potência do aparelho multiplicado pelo tempo utilizado

E = 3600 J/s x 1200 s = 4.320.000 J

E fazendo um equilíbrio cinético, obtemos:

m X g X h = 4.320.000 J

m X 10N X 100 m = 4.320.000 N.m

E agora novamente as mesmas unidades em termos opostos podem ser anuladas, resultando em:

1000m = 4.320.000

E fazendo uma simples divisão por mil nos dois termos da equação para chegar ao resultado da massa (m), obtemos:

m = 4320 kg.

Densidade da água: 1 litro = 1 kg

W = J/s

m = massa = quilogramas ou kilogramas (kg)

g = gravidade = 10 N

h = altura = metros

N = Newton = força

J = N.m (Newton multiplicado por metros, ou, força multiplicado por distância)

Portanto, 4320 litros (quatro mil trezentos e vinte) litros de água são necessários serem represados e jorrados de uma altura de 100 metros em uma usina hidrelétrica para produzir a energia que você consome em um “simples” banho diário.

*Desculpem por não converter esta última fórmula em imagem bem feita, mas a falta de tempo às vezes nos obriga a acelerar algumas etapas, mas creio que já ficou bem explicado e já deu para entender que:

Joules por segundo - simbol

Análise de fechamento:

Agora tudo foi comprovado com base em cálculos científicos, e por mais que eu tentei detalhar mesmo assim se alguém não entendeu alguma etapa, basta informar no comentário que irei destacar novamente. Mas enfim, o que concluímos com isso? Necessitamos uma grande quantidade de água represada (4320 litros) para tomarmos nosso banho de 20 minutos em um chuveiro comum, de modo que ao compararmos os 4320 litros necessários que passam pelas usinas hidrelétricas para gerar a energia necessária do banho quente, não chega nem perto dos 100 litros de água que consumimos (esta sim a água que cai pelo chuveiro).

Então alguém atento indaga: Mas a água que cai pelo chuveiro vai para o ralo e essa sim foi “desperdiçada”, mas a água que é represada, foi construída uma barragem e a água continuará seu trajeto normal de um rio, então não podemos comparar? E eu explico, que podemos sim comparar, pois a água que vai para o ralo, considerando que a cidade onde eu moro o esgoto não é jogado vergonhosamente qualquer lugar, e se tratam a água ela irá retornar ao seu curso original no meio ambiente, certamente após o tratamento será retornada a um rio, e mesmo que em sua casa esteja utilizando um sistema de reuso da água, que será ainda mais economia de água, mas em algum momento esta água irá ser escoada para o esgoto, como ao lavar o carro. E analisando o percurso de um rio, alguns mais extensos podem ser aproveitados largamente para construção de usinas hidrelétricas como o rio Tietê desta maneira sendo uma excelente fonte de energia, ao longo de seu percurso. Isso ainda não responde a pergunta, mas ao analisarmos os mais de quatro mil litros de água necessária para gerar energia elétrica que são “atravessados” em uma usina hidrelétrica no percurso do rio, tudo para UM único banho, para apenas uma pessoa, é muita água, faça essa conta analisando os moradores de sua rua, seu bairro, sua cidade. Precisa de muita água para gerar energia elétrica! E como este recurso natural está cada vez mais escasso, e o aumento da população cada vez mais amplo, haverá um momento em que não será mais possível represar água suficiente de um rio para gerar energia que consomem em uma cidade.

Por isso devemos economizar mais energia elétrica do que propriamente a água. E não pelo preço, mas pelos recursos naturais consumidos. Pois indiretamente, economizando energia elétrica estamos economizando água. Mas então o que você sugere? Que passemos a tomar banhos de 3 minutos, e não usar mais equipamentos eletrônicos. De maneira alguma, pois é reconhecível que um banho é necessário para o bem-estar de qualquer ser humano além dos produtos eletrônicos que utilizamos para facilitar nosso dia-a-dia, mas um dos objetivos ao expor este conteúdo é de conscientizar para utilizar, mas sem esbanjar, sem desperdiçar recursos naturais, pois em um futuro próximo certamente estarão bem mais escassos do que hoje.

Com certeza apenas economizar não será suficiente, por isso devemos explorar energias alternativas, como energia gerada através do vento (eólica) ou através do sol (solar), entre outras fontes de energia. Aliás, nós devemos exigir de órgãos responsáveis a investirem nesses tipos alternativos de energia, pois sabemos que já é possível colocarmos painéis solares em nossa casa e passarmos a utilizarmos energia solar, mas com certeza sabemos que ainda é pra pouco o alto investimento necessário para implantar este recurso e isso sim é tarefa do governo, passar a viabilizar energias alternativas. Novamente, mais um objetivo de cadastrar-se neste projeto, para desta maneira, um grande número de pessoas unidas pelo mesmo objetivo fazendo pressão para as autoridades tomarem atitudes como essas, para apressarem em suas decisões.

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

  1. Florisval Silva
    Florisval Silvafev 04, 2008

    Bom dia
    Como posso transformar a potencia eletrica de VA para Watts ou vice-versa

  2. Maurí­cio Machado
    Maurí­cio Machadofev 05, 2008

    Para converter Watts em VA, divida o valor em Watts por 0,65. Assim, VA = Watts / 0,65.

    Watts e VA não são unidades similares, pois os equipamentos elétricos/eletrônicos sempre possuem a indicação de seu consumo expresso em Watts ou em VA. Por isso, para facilitar os cálculos assim como foram expostos neste artigo, sempre que encontrar a unidade VA, faça a conversão para Watts, conforme indicado.

    Obrigado Florisval Silva pela sua pergunta que foi muito importante para adicionar novas informações referentes a este conteúdo.

  3. Débora Laura
    Débora Lauraago 22, 2008

    Porque devemos economizar energia se a física diz que ela não se perde?

  4. Maurí­cio Machado
    Maurí­cio Machadoago 22, 2008

    Olá Débora.

    Então, retomando um pouco o assunto de física, no que você disse a respeito ao fato de “não se perder energia”, está correto, pois o que ocorre é que a energia passa por um processo de transformação. Mas e toda matéria em “agitação”, por exemplo, necessária para gerar essa energia?

    Releia este trecho final do artigo e compreenderá a importância de economizar energia:
    (…) mais de quatro mil litros de água necessária para gerar energia elétrica que são “atravessados” em uma usina hidrelétrica no percurso do rio, tudo para UM único banho, para apenas uma pessoa, é muita água, faça essa conta analisando os moradores de sua rua, seu bairro, sua cidade. Precisa de muita água para gerar energia elétrica! E como este recurso natural está cada vez mais escasso, e o aumento da população cada vez mais amplo, haverá um momento em que não será mais possível represar água suficiente de um rio para gerar energia que consomem em uma cidade.

    Por isso devemos economizar mais energia elétrica do que propriamente a água. E não pelo preço, mas pelos recursos naturais consumidos.

    (…)

    Com certeza apenas economizar não será suficiente, por isso devemos explorar energias alternativas, como energia gerada através do vento (eólica) ou através do sol (solar), entre outras fontes de energia.

  5. emily tayane cordeiro leal
    emily tayane cordeiro lealout 23, 2008

    Por que devemos economizar energia?

  6. Maurí­cio Machado
    Maurí­cio Machadoout 27, 2008

    Emily, devemos economizar energia para pouparmos recursos naturais que são necessários para geração da mesma.

    Ao ler atentamente o artigo acima, você perceberá em detalhes como funciona uma das maneiras mais comuns de geração de energia no Brasil (hidrelétrica) e terá idéia da grande quantidade de água necessária para geração de energia elétrica em um banho diário (com chuveiro elétrico).

  7. Antídio S.P. Teixeira
    Antídio S.P. Teixeiraout 29, 2008

    Caríssimo Maurício:
    Espero que você concorde em avançar um pouco mais na concepção dos fenômenos naturais, para que os nossos leitores consigam entender em toda magnitude do espaço físico e do tempo, desde a “gloriosa” Revolução Industrial, como a humanidade foi desviada de seu desenvolvimento paulatino e natural para trilhar por atalhos que a conduziram ao impasse sócio-econômico-ambiental mundial cujo desfecho poderá ser benéfico ou trágico. No primeiro caso, a humanidade reconhecendo o engodo a que foi submetida pelos seus dirigentes e assumindo uma postura democrática de alto nível obediente a princípios éticos racionais; e a segunda e trágica hipótese será a deflagração de uma 3ª guerra mundial com a eliminação imediata de grande parte dos povos e gravíssimas seqüelas para os sobreviventes. Considerando o primeiro, vamos pincelar preto em fundo branco no meu comentário sobre energia. Se não for entendido por alguns leitores hoje, fica plantada a curiosidades para que busquem um entendimento posterior. Com a sua permissão, publicarei uma série de artigos que farão os leitores despertar do sonho cultural ao qual foram condicionadas para contemplar a realidade da vida que doravante devemos trilhar.

    Seu artigo diz que “Economizar energia elétrica é mais importante que economizar água”.
    Primeiro, temos que definir o que é ENERGIA. Ela é a potência com que dois corpos de qualquer natureza em posições opostas se atraem ou se repulsam. Ex. Alto x baixo, frio X quente, positivo X negativo, preto x branco, etc. Ela é conversível de uma forma para outra. Assim: água correndo de cima para baixo gera movimento retilíneo; passando por turbinas, transforma-se em movimento rotativo; transferido este movimento para dínamos ele se transforma em força magnética; esta coletada por enrolamentos de fios de cobre, transforma-se em eletricidade. Com esta, a mais versátil forma, transforma-se em luz, calor, frio, movimento, etc. Todo o problema sócio-econômico-ambiental é a escassez de fontes geradoras de energia limpa ou, pelo menos, renováveis (agroflorestais). Poupar água é importantíssimo porque vocês aproveitarão mais, a energia que foi gasta na fabricação e transporte dos materiais que foram utilizados nas construções das estações de tratamento, na fabricação dos tubos das adutoras, no bombeamento das águas até o local de consumo.
    Resumindo: poupando água, papel, sabão, roupas, calçados, elevador, ventilação ou refrigeração, uso inútil do automóvel, viagens de turismo; não substituindo aparelhos domésticos e equipamentos desnecessariamente e não desperdiçando alimentos, vocês estarão economizando energia elétrica e em outras formas de apresentação.

    *

  8. Maurí­cio Machado
    Maurí­cio Machadoout 29, 2008

    Antídio Teixeira, inicialmente venho agradecer ao seu excelente comentário que enriqueceu grandemente o artigo em questão.

    Quando citou sobre o “impasse sócio-econômico-ambiental mundial” é exatamente isso que estamos passando. É um grave problema para ser resolvido com urgência. É perfeitamente aceitável a idéia de que a solução desse impasse poderá passar por um caminho benéfico ou trágico, entretanto, como no mundo predominantemente capitalista não há outra visão a não ser atingir o lucro máximo possível, então creio que atualmente, a solução para qual estamos caminhando é, infelizmente, do modo trágico, que foi explicado em seu comentário.

    Mas estamos sempre lutando e através desse projeto pretendemos sim alcançar o caminho benéfico, conscientizando as pessoas e despertando todo espírito crítico para que como citado em sua opinião, a humanidade reconheça que todas as suas atitudes influenciam o meio em que vivemos e é preciso ações concretas como mudanças de hábitos e influenciar outras pessoas a mudarem seus hábitos para que assim seja atingido o desenvolvimento sustentável.

    Com a sua permissão, publicarei uma série de artigos que farão os leitores despertar do sonho cultural ao qual foram condicionadas para contemplar a realidade da vida que doravante devemos trilhar.
    Terei o maior prazer em ver seus artigos publicados nesse projeto, afinal, estamos em busca de um mesmo objetivo, de mobilizar o maior número de pessoas para solucionarmos os graves problemas da melhor maneira. E sabemos que quanto mais pessoas difundindo valiosas opiniões críticas como essas, mais pessoas serão conscientes sobre a grave situação que estamos enfrentando.

    Para finalizar, venho informar total concordância com sua análise sobre a questão da economia e maior aproveitamento dos recursos naturais, afinal como você destacou é necessário fontes naturais (que estão cada vez mais escassas) para geração de energia, principalmente, geração de energia limpa. Logo, são itens que apresentam uma relação direta.

    Apenas uma opinião que eu gostaria de ouvir sobre o excerto: “poupando água, papel, sabão, […] uso inútil do automóvel, viagens de turismo (…)” – Como seria possível minimizar as viagens de turismo, sendo que para a grande maioria das pessoas trata-se de uma das maiores recompensas após um determinado período de trabalho e conquista financeira para realização de determinada viagem? E também não podemos esquecer que muitas pessoas sobrevivem somente do turismo e minimizá-lo, em minha opinião, iria comprometer todo ciclo econômico de diversas regiões e agravar e até gerar diversos problemas. Neste caso, eu compartilho a idéia de que os meios de transportes devem apresentar uma eficiência energética cada vez maior, visando minimizar a utilização dos recursos naturais e o conseqüente impacto ambiental, e para isso, é necessário investimento em pesquisas científicas e tecnológicas.

    Já em relação aos demais itens, compreendo que são totalmente plausíveis terem seus consumos reduzidos, entretanto é uma mudança complexa na rotina de um ser humano, principalmente quanto maior for o poder econômico e toda influência que este recebe da mídia massiva com as mensagens “mágicas”.

  9. Antídio S.P. Teixeira
    Antídio S.P. Teixeiraout 30, 2008

    Caríssimo Maurício Machado:
    A evolução cultural dos povos direcionada ao consumo maciço das riquezas naturais do planeta como forma de alicerçar o poder econômico dos seus promotores, restringiu grande parte da capacidade humana de refletir sobre fatos reais e visíveis, permitindo a ela, apenas, a chegar às conclusões que interessem aos dominadores do sistema. Para o homem natural o direito de trabalhar, construir o seu abrigo, ter agasalhos e produzir alimentos para si e sua família é um ideal primitivo construído num mundo pobre de energia limpa. Já para aqueles que nasceram e se criaram como coniventes e beneficiários dos pseudo-s benefícios impostos pela Revolução Industrial, esta montada sobre a criminosa queima de combustíveis fósseis, o consumo supérfluo tornou-se essencial. Somente através de um trabalho de conscientização do quadro ambiental global e a papel dos seres humanos dentro dele, poderá fazer com que alguns menos arraigados estabeleçam limites para seu próprio consumo.
    Em meu comentário anterior você faz referência sobre meu ponto de vista relativo ao consumo de energia elétrica. O que desejo despertar nos leitores é que “em tudo que usamos ou consumimos foram gastos na sua fabricação, produção, beneficiamento, condicionamento, embalagens, armazenamento e transportes até o consumidor, grandes parcelas de energia elétrica, motriz, calorífica, luminosa, etc. em diversas partes do país ou do mundo; e ainda, tratando-se de aparelhos diversos, eletrônicos e eletrodomésticos, máquinas industriais e agrícolas e veículos, esses continuarão consumindo algumas formas de energia para seu funcionamento. E mais, após a obsolescência, continuarão a consumir para a degradação de suas carcaças. Considerando que o potencial de energia limpa e renovável no mundo é menor do que as necessidades naturais da humanidade acrescidas das artificiais promovidas pela mídia, já não há mais espaço para a obtenção de lucros fáceis nas bolsas e outros antros de jogatina no mundo. Caberá a cada cidadão analisar os custos ambientais de seu consumo e considerar o que é essencial e o que é supérfluo. Sei que será difícil para eles avaliarem o custo do consumo, porém, tenho método inédito de avaliação precisa que anunciarei oportunamente.

  10. Gleice
    Gleicenov 02, 2008

    Olá sou aluna do 2 ano do ensino médio e estou procurando uma resposta para minha pergunta
    hehe
    Por que temos que economizar energia sendo essa uma coisa que a Física diz que não acaba?
    Ficarei mto grata se puderem me ajudar.
    É para um trabalho que preciso

  11. Antídio S.P. Teixeira
    Antídio S.P. Teixeiranov 02, 2008

    Débora:
    Sou mero comentarista do blog e, estando em linha e na certeza de que o titular é liberal, informo o seguinte: energia é uma força que não se acaba, se transforma em trabalho, calor, movimento, luz, etc. o que se esgota são as fontes em que ela é contida.

    Pede-se economia de energia porque ela é obtida de fontes limpas, (hidrelétricas ou por cata-ventos) e por combustão renovável que tem como base a agricultura ou silvicultura; são renováveis porque após a colheita agrícola que servirá como combustível, ficará espaço no solo para o plantio de nova safra; e a mais usada e menos recomendável tem como fonte as termelétricas queimando carvão mineral, petróleo ou gás natural cujos efluentes (fumaça) não são recicláveis.
    Como o nosso potencial para hidrelétricas está se esgotando e o meio ambiente mundial já está saturado pelos gases das termelétricas, o bom senso manda que se economize energia. Ou seja: economiza tudo que for essencial para você e dispense o que for supérfluo.
    Bom trabalho.

  12. Antídio S.P. Teixeira
    Antídio S.P. Teixeiranov 03, 2008

    Gleice:
    Por equívoco, destinei à Débora Laura a resposta acima e sem observar que a ela já tinha sido respondida pelo Maurício em 22 de agosto p.p. Desculpe-me pelo endereçamento errado, mas vale o que foi dito.

  13. Aline
    Alinenov 18, 2008

    Espero que voces possam me ajudar e um dos meus trabalhos de escola e nao estou conseguindo achar
    srsr

    1 De onde vem a luz?
    2 Como e produzida?
    3 Como se propaga?
    4 Como se formam as imagens,espelho e lentes?
    5 Como ocorre o processo da visao?

    por favor me ajude serei muito grata!!desde ja muito obrigada!!

  14. Antídio S.P. Teixeira
    Antídio S.P. Teixeiranov 18, 2008

    Aline:
    Não sou professor nem tenho formação em ciências. Porém a curiosidade para entender os fenômenos naturais que observava, levou-me a compreender melhor do que mesmo saber. O entendimento se obtém com experiências próprias e comparativas; enquanto o saber é a aceitação de informações alheias, nem sempre experimentadas pelo informante. Para responder as suas perguntas, você procurará entender, comparativamente, o que é a luz. E, para isso vou sugerir um experimento no qual você encontrará as respostas. Se não conseguir, tenho certeza de que o Prof. Maurício entrará nesta sala de aulas para melhor lhe responder.
    Procure uma superfície de água limpa e parada. Um lago público, por exemplo. Leve algumas britas e uns dois tijolos partidos ao meio. Atire um dos pedregulhos um pouco afastado da margem. Logicamente verá que a partir do impacto formar-se-ão marolas circulares e crescentes, afastando-se do centro onde houve o impacto da pedra. Comparando com a luz, aquele impacto foi a fonte luminosa e é esgotável porque não tem continuidade. E as marolas equivalem à irradiação. À medida que as ondinhas vão se afastando do centro, sua altura vai diminuindo; esta altura, maior ou menor, corresponde à intensidade da luz. À medida que elas vão se afastando do centro, a intensidade vai diminuindo, mas a distância entre elas é constante. É a freqüência dos impulsos.
    Agora faça o mesmo experimento com o meio tijolo. Você notará que as marolas serão bem mais altas, portanto, terão maior intensidade. No entanto, a freqüência entre elas serão as mesmas. Os círculos crescerão com a mesma velocidade; portanto, constante seja qual for a intensidade do impacto. Só que a da luz se aproxima dos 300.000 quilômetros por segundo, seja a que vem do sol assim como a que parte de nossa lanterna de pilhas.
    Vamos responder suas perguntas comparativamente:
    Obs. – Luz é uma das formas de energia; e energia é matéria em estado de
    dispersão, assim como toda matéria é energia concentrada.

    1) – De onde vem a luz? – Do Sol. Comparando com as ondas, ele corresponde as tijoladas na água; ele impulsiona ondas luminosas em todas as direções, portanto, radiais.
    2) –Como é produzida? – Ela não é produzida, mas liberada pela desagregação da matéria, tanto atômica como molecular. Assim, quando explodimos uma bomba atômica, liberamos, de uma só vez, toda energia contida em uma porção de elementos radiativos, nas formas de calor e luz. Quando acendemos uma vela ou uma boca de fogão, estamos liberando a luz e o calor contidos nos respectivos combustíveis. Quando acendemos uma lâmpada elétrica, transformamos em calor e luz a energia elétrica que pode vir de uma pilha, de uma usina hidrelétrica ou termelétrica.
    3) Como se propaga? – Da mesma forma que as ondinhas do lago: em ondas radiais partindo da fonte.
    4) Como se formam as imagens, espelhos e lentes? – As radiações luminosas não são visíveis; apenas seus reflexos da matéria iluminada por ela. Assim, numa noite sem Lua, quando olhamos para o espaço, só vemos astros luminosos e iluminados, e não os raios luminosos chegando a eles. Os espelhos com suas superfícies polidas e fundo claro, refletem quase toda luz que recebem; e as lentes desviam as ondas luminosas fazendo-as convergir ou espargir proporcionalmente ao grau de curvatura de suas superfícies.
    5) Como ocorre o processo da visão? – Os olhos possuem lentes naturais que captam os reflexos da luz sobre objetos e imagens em geral e as convergem e transmitem ao cérebro através do nervo ótico.
    Ainda mesmo que eu tenha dado explicações fora do nível didático e não seja bem entendidas hoje, mas, elas são verdadeira e entendidas mais tarde. Bom trabalho.

  15. Ignorante
    Ignorantemar 29, 2009

    Ta sobrando energia no Brasil, e como a população vai parar de crescer em 2040 / 50 a energia não sera consumida muito mais dali em diante…

  16. alana
    alanamaio 22, 2009

    nao era o que eu procurava mais foi o bastante para aprender sobre a importancia de economizar energia e nao agua e claro que temos que economizar agua mais e muito melhor economizar energia bjos

  17. Andre Correiaago 13, 2015

    A explicação dada a respeito do consumo de água foi bastante simplificada. Infelizmente no mundo real existem perdas ate se chegar na potencia entregue nos terminais elétricos do chuveiro. Para se ter uma ideia um dado fornecido por uma concessionaria de energia para um caso particular deu um rendimento de 54%, isto significa que apenas 54% da potencia hidráulica é aproveitada o resto é perdido no caminho, então para o nosso exemplo acima precisaríamos de 8000 litros de água para produzir a energia elétrica necessária para o banho acima. Os 4320 litros demonstrados é para um caso de rendimento impossível de 100% usado para simplificar a questão e alimentar aqueles que dizem que a teoria é diferente da pratica . Mas resumindo o governo petista cometeu um erro terrível quando deixou varias usinas eólicas até dois anos sem poder entregar a energia dos ventos por falta de linhas de transmissão de empresas estatais controladas pelo governo; o pais( toda a população ) teve que pagar o acordado nos contratos pela energia que seria fornecida; para se ter uma noção de forma bem simplificada já considerando as perdas 1 Giga Watts eólico por um tempo médio de atraso de 24 meses seria 1GW x 24 = 24 GW mês de energia. A usina de Itaipu tem uma potencia instalada de 12,7 GW, Itaipu precisaria de aproximadamente 2 meses trabalhando 24 horas por dia próximo de 100% de sua capacidade para produzir esta energia que o governo jogou fora. Considerando na média aproximada 730 horas mês temos x 24 Gw = 17 520 GWhora o que daria aproximadamente 116,8 bilhões de metros cúbicos de água a mais distribuídos nos reservatórios do pais. Temos que acordar e exigir dos nossos governantes, não importando o partido, que se mude esta realidade, temos que incentivar as manifestações pacificas por um pais melhor. Para se entender de forma rapida porque a população da alemanha não quer as usinas nucleares, sempre tem a chance de dar uma merda e ter vazamento nuclear e é logico que a população somente vai ser informada se não der para esconder a merda, como aconteceu varias vezes na historia recente, se der para esconder alguém vai ter que provar que os números de mortes por cancer foram devidas a vazamentos devidos ao lixo nuclear ou da própria usina. A queima de combustiveis para a produção de energia levou aos chineses terem que usar mascaras para poder respirar em algumas cidades, o governo chines correndo atraz do prejuiso já instalou o equivalente a mais de 10 Itaipus de energia eólica além de outras fontes limpas e diversificadas de energia e redução de poluição. Nos brasileiros temos que acordar. Na area solar a muitos anos as que tem o melhor custo beneficio são as termo solares, já se existe usina da ordem de 100 Mwatts de energia elétrica termo solar, quantas usinas termo solares temos no Brasil? Na europa os melhores geradores eólicos já são fabricados de 7,5 M watts, pois apresentam o melhor custo beneficio a longo prazo, no brasil ainda na casa dos 3,poucos M watts porque o governo não exige nos descritivos das licitações que sejam o que a de melhor no mundo já em operação a cerca de 6 a 7 anos, chegando atualmente a mais de 100 deste modelo entre instalados + em fase de instalação + pedidos de fabricação. O problema não é a seca nem a chuva em excesso, existem medições e estudos que falam o quanto vai chover num período de 100 anos o que falta é planejamento, muitos países na América do sul crescem mais que o brasil, o que falta…?

  18. Andre Correiaago 13, 2015

    não sou professor, sou apenas um engenheiro que participa ativamente de projetos, fabricações, instalações, operação e manutenção de diversos tipos de equipamentos. Além de usar a internet como uma das fontes de informação do que acontece no mundo.

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.