Iluminando uma verdade

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Iluminando uma verdade

Não há dúvida de que os meios de comunicação já começaram a despertar uma consciência popular ambiental, sem o que não se terá como estancar e, mais tarde, reverter o aquecimento global que vem sendo desenvolvido nestes dois últimos séculos. No entanto, as informações liberadas pela Ciência, apesar de verídicas, elas são apresentadas de forma a esconder, ou minimizar, as causas mais graves do processo, uma vez que estas são os sustentáculos da economia capitalista dominante. Vejamos porque: quase todas as combustões poluem a atmosfera porque ao liberarem o calor utilizável, lançam também nela óxidos de carbono; e este elemento é grande receptador dos raios infravermelhos que geram calor nas camadas mais elevadas do espaço. Portanto, quando queimamos combustíveis oriundos de carvão mineral, petróleo ou gás natural; assim também, como lenha, carvão vegetal, álcool, biodiesel e outros, poluímos igualmente e, do mesmo modo, contribuímos para aumentar o aquecimento global. A diferença de resultados na utilização das duas classes de combustíveis é que as cotas de carbono emanadas pelos fósseis, correspondem a ações da fotossíntese realizadas por florestas que existiram há bilhões de anos, ocupando, sucessivamente, os mesmos espaços de solo, e que hoje, já não estão mais disponíveis na Terra. Portanto, os efluentes destas combustões são cumulativos no meio ambiente. Já os renováveis, derivam de florestas, ou vegetações contemporâneas e, durante os ciclos de vida destes vegetais, eles captam da atmosfera o carbono necessário para constituírem suas estruturas orgânicas. Assim, durante esse período, eles retiram da atmosfera a mesma quantidade de carbono que nela serão lançadas nas diversas fases de sua utilização, ou seja: desde as queimadas dos resíduos florestais ou nas suas conversões em carvão vegetal, assim como na queima das palhas dos canaviais até o combustível final. Todos os efluentes originados nas combustões dos renováveis, tiveram seus espaços de ocupação previamente reservados na atmosfera durante a fotossíntese dos vegetais que lhes deram origem. A distorção de informação vem do destaque que se dá às emissões de carbono como um todo indistinto na atmosfera. Talvez por conveniência, fala-se apenas em controlar as emissões de CO2, omitindo-se as parcelas originadas de cada atividade e em cada país. Assim, os meios de comunicação extrapolam no anúncio de combate às queimadas, geralmente para prática de agricultura ou de pecuária que suprem a fome do mundo, camuflando o interesse econômico das minorias dominantes de se deixarem espaços livres na atmosfera para acomodar os efluentes da queima de combustíveis fósseis utilizados para produzir a energia necessária a produção de bens supérfluos, ou movimentação de veículos e de aparelhos não essenciais à vida. Os resíduos naturais eliminados pelos seres animados, são reciclados pelo mundo vegetal mantendo o equilíbrio ambiental; porém os que são descartados no meio ambiente em consequência da fabricação de bens e de serviços supérfluos oferecidos aos menos pobres, são cumulativos no ar ou no solo e os resultados são os desastres ambientais e socioeconômicos que estas gerações já estão vendo e sentindo. O caminho do equilíbrio é, num primeiro passo, conscientizar as pessoas de que tudo que consumimos, ou bem de que nos utilizamos, consumiram várias formas de energia na fabricação, embalagem, transporte, conservação, e ainda, no descarte do lixo produzido. E tem mais: para fazer funcionar aparelhos ou veículos utilizados sem fins essenciais. Considerem que mais de 80% desta energia tem origem na combustão de fósseis. O passo seguinte é fazer com que as pessoas entendam que as reservas minerais do Planeta já não são suficientes para atender às necessidades de uma humanidade crescente: faz-se necessário, portanto o estabelecimento de um plano de controle restritivo da natalidade.

Sobre

Antidio S.P. TeixeiraAdministrador de empresas aposentado, com experiência em empresas de vários ramos industriais. Ambientalista por vivência, observação e interpretação dos fenômenos naturais, autodidata nesta área.Ver todas as publicações de Antidio S.P. Teixeira »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.