Indo além da informação

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Indo além da informação

Conhecimento é algo muito comum, fácil para se conseguir nos tempos modernos, com diversas fontes, sejam eletrônicas (internet, tv), seja impressa (livros, jornais, revistas) ou ainda em meios tradicionais, ao ouvir alguém lhe passar alguma informação. O problema que vem sendo notado é como as pessoas manipulam todo esse conhecimento.

Quando você lê uma notícia, podemos até citar o exemplo do acidente da TAM, você busca saber algo mais? Muita informação foi divulgada sobre esta tragédia, mas em especial vamos analisar aquelas que tentaram mudar nossos sentimentos.

A sensação que determinadas mídias tentam transmitir para sensibilizar as pessoas, com perguntas do tipo, “como é viver sem um ente querido?”, pergunta que não acrescentará nenhuma idéia que possa ser utilizada para formar uma opinião, mas feita objetivamente, com a pretensão de comover.

Desta maneira, faz muitos de nós termos uma reação semelhante à “tranqüilidade”, pois quando achamos que algo está ruim, tentamos lutar para mudar isso, mas se vemos casos como este, passamos a refletir que como há outras pessoas se sentindo piores do que a gente neste momento, então ficamos passivos a qualquer atitude, ou seja, não agimos.

Esquecemos da indignação por uma situação, sentimos “apenas” pena da pessoa que sofreu a perda. Logo, o objetivo de comover as pessoas, tem um sentido diferente, de desviar o senso crítico, fazer com que as pessoas não se questionem ou não busquem alternativas para mudar a situação.

Por exemplo, você sabia que o setor rodoviário do Brasil é ainda mais precário que a atual situação do caos aéreo? Um recente estudo realizado pela Associação Nacional de Transportes de Carga & Logística informa que apenas 11% das estradas brasileiras são asfaltadas, ou seja, de um milhão e 700 mil quilômetros de rodovias, apenas 196 mil são pavimentados.

Dessa pequena porcentagem, um número ainda menor de estradas apresentam condições seguras como acostamentos, que podemos comparar com a tão falada “área de escape” do setor aéreo.

Devido a essas situações, o risco de ocorrer um acidente durante uma viagem de algumas horas pelas rodovias do país, é muito maior do que acontecer um acidente aéreo. E isso é confirmado com as estatísticas de vítimas do trânsito pelas rodovias do Brasil.

O que faz um acidente aéreo ter mais “destaque” é pelo motivo que um único acidente de avião provoca a morte de centenas de pessoas, já acidentes de veículos são responsáveis por poucas mortes, mas como ocorrem em grande quantidade, representam um setor muito pior do que o aéreo.

Por isso a situação rodoviária do país é pouco debatida. E, aliás, abrangendo a qualidade de todo transporte brasileiro, classificamos como muito ruim não atendendo as necessidades de locomoção interna ou exportação deste gigantesco território. Mas não vamos entrar nesse detalhe.

Critique informações e tenha atitudesNosso objetivo foi exemplificar a importância de nunca desistir de tentar mudar algo que não está adequado, porque a mídia nos “enfia” um excessivo conteúdo e muitas vezes para enfraquecer nossas argumentações.

E por que estamos entrando neste aspecto em um projeto que aborda questões ambientais?

Pelo motivo que a única coisa que fará com que sejam revertidas situações como o aquecimento global, falta de qualidade de serviços de saúde como tratamento de esgoto, água potável, entre outros problemas, será a atitude de pessoas empenhadas em agir e que questionem as informações que são publicadas.

Até mesmo, na maioria das publicações neste site você pode perceber que não nos limitamos simplesmente em falar sobre um determinado conceito ou publicar uma notícia, mas damos opiniões, refletimos sobre questões ambientais, comportamentos humanos e damos margem para você formar uma opinião.

Há ainda a possibilidade de discordar de nosso ponto de vista. Para isso, abaixo de todas as publicações, há um espaço onde você, leitor deste site poderá dar sua opinião, com idéias que completem a do autor ou com opiniões contrárias para assim estabelecermos uma saudável discussão sobre o tema e enriquecer nossos conhecimentos e pontos de vista.

E destacamos a importância da atitude. Você pode começar a agir e com consciência, preservando o meio ambiente, e participando deste projeto para termos um grande número de assinaturas que ajudarão a pressionar autoridades a mudarem sistemas como geração de energia com fontes renováveis, entre outras alternativas.

Sugestão escolar: Infelizmente, devido à falta de investimentos no setor educacional do país, apesar de abordarmos um conteúdo extremamente importante, pois tratamos de um grave problema do século XXI (o aquecimento global relacionado também com outros problemas ambientais), é muito raro que algum aluno do ensino fundamental ou médio se interesse por um tipo de conteúdo como esses.

Mas esta também é uma situação que pode ser revertida. Por isso sugerimos a você, profissional no setor de educação, que selecione alguns conteúdos deste site para abordar em classe, paralelamente a sua matéria. Já será um grande passo para avançar a conscientização da preservação ambiental e estará contribuindo para formação de cidadãos críticos.

Artigo relacionado:
Informações delicadas ocultadas pela mídia

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.