Nós somos como “câncer” para o planeta

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Nós somos como “câncer” para o planeta

Estamos vivendo sem equilíbrio, nos desenvolvendo descontroladamente, prejudicando crescente e aceleradamente todo o sistema em que nos interagimos. Essa situação representa um grave problema, pois não saberemos quando será atingido o “limite” que o planeta pode suportar fora do equilíbrio.

O fato de não ser possível prever o nível máximo de degradação que influencia o meio ambiente, para determinar assim a capacidade ou possibilidade de reverter uma situação, torna uma questão delicada, pois apesar de tantos estudos científicos, com até algumas supostas projeções sobre o fim do mundo, mas nada pode ser afirmado com certeza.

Essa incerteza é justificada com base na análise de que não prejudicamos o planeta em uma ordem simplesmente crescente como, por exemplo, uma seqüência numérica simples (1, 2, 3) que representa de forma fictícia o índice de destruição do planeta, e que quando atingir 100, seria impossível reverter a situação. Mas estamos falando em uma ordem acelerada, que pode ser representado pela seqüência: 1, 2, 4, 8, 16, 32… Isso é a degradação crescente e acelerada que o planeta está sofrendo.

Para facilitar a compreensão da idéia do parágrafo anterior, vou citar um trecho do livro “O vigésimo nono dia” do escritor Lester Brow, que começou com uma história interessante: “Em uma lagoa flutua uma folha de árvore. A cada dia que passa o número de folhas dobra: duas folhas no segundo dia, quatro no terceiro, oito no quarto e assim por diante. Se a lagoa ficar inteiramente coberta de folhas no trigésimo dia, quando ela ficou coberta pela metade? Resposta: No vigésimo nono dia”.

Crescimento descontroladoNessa história, o autor refere-se ao crescimento populacional, e pode ser perfeitamente enquadrado neste artigo, pois a causa dos impactos ambientais como falta de recursos naturais, elevada emissão de gases poluentes, nada mais é do que oriundo do desordenado crescimento e desenvolvimento populacional. Afinal, tendo mais pessoas em um planeta, aumenta a demanda por recursos naturais, produtos industrializados, etc.

Para entender a história, basta comparar a lagoa sendo o planeta Terra e as folhas sendo as pessoas. Pode ser que na atual geração o planeta já esteja coberto pela metade, e com isso, não significa que ainda teremos metade do tempo que se levou para atingir essa situação, para recuperá-la. Se isso estiver ocorrendo, da nossa geração para a próxima terá atingido o limite da capacidade populacional (coberto inteiramente de folhas) e então será impossível reverter diversos problemas.

Não apenas o impacto ambiental está relacionado diretamente com o crescimento da população, mas outros problemas como fome, doenças, desigualdades sociais e econômicas. Logo, se a taxa de natalidade for reduzida para desacelerar o crescimento populacional, podemos ter mais tempo para solucionar esses problemas. Mas se o crescimento continuar descontrolado, devido ao aumento da demanda populacional para suprir suas necessidades de sobrevivência em um mundo predominantemente globalizado, irá agravar ainda mais estas situações.

E como chegar a conclusão de que o crescimento da população é acelerado nessa proporção? Com base em dados estatísticos mundiais, que informam uma análise de que cada indivíduo tem uma média de dois filhos. Ou melhor explicando, seguindo por gerações, o número de pessoas dobram a cada geração.

Com base na explicação acima sobre o motivo de estarmos prejudicando o planeta de forma crescente e acelerada, podemos agora fazer uma análise por outra visão. O cientista inglês James Lovelock defende a idéia de que a Terra é como um grande organismo vivo, idéia denominada “hipótese de Gaia”, que na mitologia grega, Gaia é a deusa que personifica a Terra, mãe de todas as criaturas vivas.

Acham isso estranho? Pois vamos explicar que essa teoria é completamente aplicável. Imaginem que o planeta seja um sistema fechado e que a biosfera (parte do planeta onda há vida) apresenta características comuns de um ser vivo, já que capta energia para manter seu funcionamento e pode se auto-regular. Seguindo essas comparações, a atmosfera terrestre é uma membrana de gases que nos protege e regula condições necessárias como temperatura.

Por sua vez, os seres vivos juntamente com o ambiente, representam nessa ideologia, uma rede de interações que pode ser equiparada com todas as células e tecidos presentes em um organismo. Quando células começam a se duplicar descontroladamente e prejudicando imensamente o sistema do organismo, podemos comparar com um tumor maligno, o câncer, que por sua vez passa a prejudicar inteiramente todo equilíbrio do organismo, desregulando seus ciclos, acabando com outras células, tornando o sistema frágil.

Essa situação não lhe parece semelhante? Pois amplie a idéia, e se nós seres humanos somos um determinado tipo de células e que estamos crescendo desordenadamente e interagindo negativamente com todo sistema que nos cerca, devido a todos os problemas (sociais, econômicos, ambientais), então somos como um câncer para o planeta, e agindo como tal, podemos matar todo organismo (Terra) e como estamos dentro dele, morremos junto.

Trata-se de uma concepção complexa, provavelmente de difícil aceitação. Mas que não sai da realidade, sendo enquadrado apenas em um diferente contexto para explicar assim a importância de se agir conscientemente com todo ambiente que nos cerca, pois pertencemos a ele, e se o destruirmos, atingindo o nível máximo suportado, nós também seremos destruídos já que vivemos dentro desse ambiente.

Sustentabilidade (Desenvolvimento sustentável)Vamos concluir então esta publicação falando da importância do desenvolvimento sustentável, ou sustentabilidade, que é “simplesmente” equilibrar o desenvolvimento da sociedade sem prejudicar o ambiente em que vivemos, para que assim, todo esse desenvolvimento possa ser utilizado e continuado pelas próximas gerações. Uma definição simples, porém uma atitude complexa.

Devemos ter em mente os diversos problemas que o planeta esta sujeito, e que já discutimos em outros artigos como mudanças climáticas, degradação do meio ambiente (poluição), destruição da camada de ozônio, escassez dos recursos naturais, extinção de espécies, entre outros impactos ambientais que são uma conseqüência da ação humana. Sendo estes, originados pelo crescimento populacional, desenvolvimento industrial e tecnológico, implementados pelo progresso científico, sem nenhuma preocupação com os impactos que essas ações poderiam causar ao futuro.

O futuro é agora, todos esses problemas já iniciaram e muitos de nós já estamos sofrendo com intensas catástrofes ocorridas nos últimos anos, porém, ainda mantemos descontroladas as situações que são responsáveis pela causa dessas variações. Mas, devido à concepção que todos esses problemas já estão nos afetando e podem afetar muito mais drasticamente as próximas gerações que incluirão nossos filhos e netos, a consciência da preservação ambiental vem aumentando.

Infelizmente a consciência da preservação ambiental ainda está longe do suficiente, principalmente pela ambição humana. Queremos crescer economicamente, desenvolver novas tecnologias, acelerar ainda mais o progresso, mas para tudo isso é necessário um lugar para suportar essas ações.

Grande parte dos recursos naturais são esgotáveis, como minerais utilizados na criação de muitos produtos industrializados. E se não queremos deixar de lado todo esse desenvolvimento, é preciso planejá-lo para ser um desenvolvimento sustentável, caso contrário nada poderá ser usufruído por muito tempo.

Tudo que afirmamos, não são suposições, são explicações reais e comprovadas. A única informação que trata-se uma suposição é sobre quando o planeta ficará “coberto inteiramente de folhas” ou quando “nós, células cancerígenas, iremos matar nosso organismo”. Situação a qual pode ser revertida se contar com o esforço de todos.

Conteúdos relacionados:
Veja como frear o aquecimento global
Importância de preservar o meio ambiente
Você acredita no aquecimento global?
Ação: não ganhe apenas conhecimento sobre degradação ambiental, faça sua parte!

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

  1. thaynara
    thaynaramaio 14, 2008

    parabens!!!!! show de bola…gostei muito,,,
    otimos assuntos,,…

  2. Rafaela
    Rafaelamaio 31, 2009

    É muito importante está participando deste site que contribui o meio ambiente!!!!!!!!!!

  3. Rafaela
    Rafaelajul 11, 2010

    Eu nunca tinha entrado neste site pra pesquisar algo escolar! mas depois q eu entrei, eu encontrei tudo q eu precisava!me ajudou muito!
    Valeu amasite.com
    bjao !
    Rafaela

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.