Profecia X comprovação científica

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Profecia X comprovação científica

Selecionamos o significado de algumas palavras de acordo com o dicionário Michaelis para facilitar o entendimento deste artigo.

Profecia: 1. Predição do futuro feita por um profeta; oráculo, vaticínio. 2. Conjetura.

Profeta: Aquele que, entre os hebreus, anunciava e interpretava a vontade e os propósitos divinos e, ocasionalmente, predizia o futuro por inspiração divina.

Oráculo: 1. Resposta dada por uma divindade a quem a consultava. 2. A própria divindade que respondia.

Vaticínio: Adivinhar

Conjetura: Juízo ou opinião com fundamento incerto; suposição, hipótese.

Profecias (imagem)Como foi possível observar são todos sinônimos que exprimem a idéia de que quando se trata de uma informação profética é uma tentativa de adivinhar o que vai acontecer no futuro sem argumentos técnicos científicos, ou seja, é o mesmo dizer que o mundo irá acabar porque Deus está descontente com a ganância humana. Isso é uma profecia, para argumentar foi utilizada uma idéia divina, religiosa, que não é comprovada.

Por isso, diferente de muitas publicações que pregam profecias, que tendem a ganhar espaço na mídia por falar de um assuntos que causem medo, desespero, neste projeto AmaNatureza o que vocês podem ver são publicações com comprovação científica, com base em argumentos citando dados de pesquisas, experimentos realizados e com análise concluída.

Então ao ler previsões para um futuro próximo neste portal, não tire nenhum crédito do autor já imaginando ser mais uma das inúmeras profecias que você deve estar farto de ouvir, mas reflita sobre os argumentos e tendências que foram analisadas, como dados que informam que continuando a elevada emissão de gases poluentes na atmosfera certamente o fenômeno conhecido como efeito estufa tende a aumentar e conseqüentemente aumenta o aquecimento global, logo, com a elevação da temperatura do planeta haverá um derretimento das geleiras que provocará o aumento do nível dos oceanos em que várias ilhas e cidades litorâneas serão inundadas. Isso é uma comprovação científica, analisando tendências de dados publicados com base em eficientes pesquisas e expressos em tabelas, gráficos ou textos, é possível chegar a conclusão desta realidade para um futuro próximo.

[Leia o significado de “ciência” (Michaelis)]

Ciência: 1. Conhecimento exato e racional de coisa determinada 2. Sistema de conhecimentos com um objeto determinado e um método próprio.

A ciência é o suficiente para comprovar qualquer idéia, já que trata-se de uma informação precisa, coerente, em outras palavras para efetivar determinada idéia com base em argumentos científicos, foram realizados testes, análises, pesquisas, formulados relatórios com hipóteses, desenvolvido discussões por especialistas para analisarem as hipóteses abordadas, realização de novos testes levando em consideração a hipótese adotada e ao chegar em uma informação exata, então é concretizado como uma comprovação científica.

Ciência (imagem)O atual momento em que vivemos requer objetivamente dados e informações concretas para podermos analisar e discutir problemas em diversas áreas e não apenas problemas ambientais, para com isso ser possível a formulação de soluções para estes problemas. Imaginem como seria se não houvesse argumentos científicos? Primeiramente não iríamos ter a perspectiva de que com a alta degradação ao meio ambiente isto estaria realmente provocando sérios riscos para a humanidade. Posteriormente quando os problemas começassem a se manifestar em escalas alarmantes e notáveis de que o planeta estaria completamente desregulado, não saberíamos como agir diante de todos esses problemas. E se então passassem a pesquisar e investir em informações científicas, talvez quando fosse descoberta a solução, então já poderia estar em uma situação irreversível.

Vejam que incrível, temos a ciência abordando todos os problemas ambientais, apontando o que devemos fazer, e mesmo com todos esses alertas, simplesmente muitos ignoram qualquer atitude como se não existisse a ciência e sentem-se pouco preocupados com o futuro do planeta pelo egoísmo humano (egocentrismo) de ter a mentalidade de que se o planeta agüentar mais uns 50 anos, então hoje eu tenho 25 anos, então até lá já estarei com 75 anos, bem velho, já aproveitei bastante a vida, então o planeta pode acabar de vez. E as gerações futuras? Terão de responsabilizar-se pelo egoísmo de cada um desses indivíduos que pouco pensaram no mundo?

Vamos mudar essa atitude, pensar no próximo e “nos próximos” (futura geração), passar a cobrar do governo a aplicação das soluções abordadas, união para pressionar as autoridades a agilizarem seus processos e investimentos necessário para diminuir o índice de poluição e recuperar o que já foi degradado. Com esses investimentos, além de estar contribuindo para o meio ambiente, haverá um crescimento no índice de desenvolvimento humano, pois com estruturas hospitalar, rede de esgoto, tratamento de água, coleta seletiva e reciclagem de lixo nas áreas onde ainda não há recursos importantes como esses, temos que lutar, exigir não somente que nossa casa tenha esses “privilégios básicos” (desculpem a contradição da expressão destacada, mas realmente são recursos básicos, mas pela barreira que o governo impõe na viabilização desses recursos, torna-os como privilégios), por isso devemos pensar no próximo, ou seja, em pessoas que vivem em áreas mais pobres e exigir que as autoridades implantem essas medidas em grande parte territorial, além de passar a investir também em recursos mais avançados como viabilização de energias limpas como eólica e solar, que trarão um gasto inicial mais alto, porém depois haverá uma economia na manutenção dessas redes e diminuição de impactos ambientais e também devemos pensar nos próximos, que trata-se de tornarmos o planeta como era antes de toda degradação ou pelo menos minimizar os problemas existentes que correm sérios riscos de tornarem-se irreversíveis para soluciona-los, e deixar este mundo numa situação mais acolhedora para nossos filhos, netos, etc.

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.