Alterações em prédios irão trazer melhorias para o meio ambiente

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Alterações em prédios irão trazer melhorias para o meio ambiente

Clinton lança plano para tornar prédios mais ‘verdes’

São Paulo é uma entre 15 cidades do mundo participando de um projeto para tornar prédios mais eficientes no uso de energia e combater o aquecimento global.

Prédios em metrópolesA iniciativa é liderada pela fundação do ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, e conta com a participação de cinco bancos globais e quatro corporações multinacionais, além de uma equipe de especialistas em reformar prédios para torná-los mais “verdes”.

Na maioria das cidades, prédios são responsáveis por mais de 50% das emissões de carbono. No caso de grandes metrópoles como São Paulo e Nova York, esse índice sobe para 70%.

De acordo com o plano, cada banco participante vai emprestar US$ 1 bilhão para cidades e donos de construções. O dinheiro será usado para melhorar sistemas de aquecimento, resfriamento e iluminação em prédios antigos.

Segundo os criadores do programa, a idéia é que os empréstimos sejam pagos com o dinheiro resultante da economia no uso de energia.

As estimativas são de que as melhorias trarão reduções entre 20 e 50% nos gastos.

“As mudanças climáticas são um problema global que requer soluções locais”, disse Clinton. “As empresas, bancos e cidades em parceria com a minha fundação (…) vão economizar dinheiro, fazer dinheiro, criar empregos e produzir um impacto coletivo sobre as mudanças climáticas.”

Além de São Paulo, participam do programa Bangcoc, Berlim, Chicago, Houston, Johannesburgo, Karachi, Londres, Melbourne, Cidade do México, Nova York, Roma, Seoul, Tóquio e Toronto.

Os bancos participantes são ABN AMRO, Citi, Deutsche Bank, JPMorgan Chase e UBS.

BBCBrasil.com

Apesar de ser uma boa notícia não é garantido que este plano seja certamente aplicado, até mesmo pelo alto investimento que os bancos participantes terão que arcar (1 bilhão de dólares), mas o que podemos afirmar é que conforme foi apresentado na notícia é uma idéia boa ao analisarmos como um ciclo este investimento, que será pago através da própria economia de energia.

Infelizmente na notícia não é detalhadamente abordada a modificação que irão fazer nestes edifícios, apenas informam que “o dinheiro será usado para melhorar sistemas de aquecimento, resfriamento e iluminação em prédios”. Logo podemos vagamente deduzir que irão fazer reformas como ampliar a área coberta frontalmente por vidros, que aumentam a iluminação solar interna não havendo necessidade de utilizar luz elétrica amplamente durante o dia, realizando a troca de todas as lâmpadas incandescentes por fluorescentes, passando a substituir mecanismos de aquecimento e resfriamento antigos que são poluidores e consomem energia em excesso por aparelhos mais novos, mais eficientes que reduzem a emissão de gases poluentes ou ainda substituir aparelhos de ar-condicionado por sistemas naturais de ventilação. Entre outras modificações na infra-estrutura, que apesar de serem simples é necessário um investimento, mas que será de ótima contribuição para o meio ambiente, afinal de acordo com a notícia acima “na maioria das cidades, prédios são responsáveis por mais de 50% das emissões de carbono. No caso de grandes metrópoles como São Paulo e Nova York, esse índice sobe para 70%”.

Assuntos como esses que são discutidos e divulgados publicamente como garantia de ação de planos para alterações com meta de reduzir a degradação ao meio ambiente e dessa forma diminuir os problemas ambientais e diminuir a probabilidade de ocorrer catástrofes devido a falta de controle pela elevada poluição, devemos continuar acompanhando para daqui alguns meses, ou anos, podermos cobrar das autoridades sobre a aplicação destes planos e que não fiquem só no papel, para isso devemos estar sempre os pressionando para adotarem estas medidas o mais rápido possível, pois o planeta não pode esperar, aliás, creio que o planeta está agüentando até de mais, por todo nível de destruição a qual foi e está sendo submetido.

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.