Apoio ambiental do Japão e educação ambiental no Rio

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Apoio ambiental do Japão e educação ambiental no Rio

Japão oferece ajuda para países em desenvolvimento reduzirem emissões de gases

Mylena Fiori
Repórter da Agência Brasil

O Japão oferecerá, nos próximos cinco anos, US$ 10 bilhões para apoiar os países em desenvolvimento a reduzir as emissões de carbono, responsáveis pelas mudanças climáticas. O anúncio da nova linha de financiamento foi feito hoje (26) pelo primeiro-ministro japonês, Yasuo Fukuda, durante o Fórum Econômico Mundial, que ocorre na cidade suíça de Davos.

Os recursos já começarão a ser liberados este ano. Cerca de US$ 8 bilhões serão destinados à redução dos efeitos do aquecimento global. Os outros US$ 2 bilhões serão aplicados em assistência técnica a países interessados em adotar formas de energia limpa. De acordo com a página oficial do Fórum na internet, o Japão anunciou ainda a intenção de criar um fundo multilateral, com Estados Unidos e Reino Unido, para medidas de contenção das mudanças climáticas.

O primeiro-ministro japonês também infirmou que a redução das emissões de carbono pelos países pelas nações mais industrializadas do planeta será o foco da reunião deste ano do G-8, grupo que reúne os sete países mais ricos do mundo – Estados Unidos, Canadá, Japão, Grã-Bretanha, França, Alemanha e Itália – e a Rússia. O encontro ocorrerá no Japão em junho, e a intenção é fixar meta de redução de emissões para os países membros do G-8.

As mudanças climáticas causadas pelas emissões de carbono foram o tema central da reunião de 2007, na Alemanha. O Brasil participa das reuniões do G-8 como convidado.

O Fórum Econômico Mundial reúne 27 chefes de estado e de governo e centenas de altos executivos do mundo todo. O Brasil está representado pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e pelo presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli.

Lançado no Rio, Fórum Mundial de Educação dará ênfase ao meio ambiente

Vladimir Platonow
Repórter da Agência Brasil

O Fórum Mundial de Educação (FME) foi lançado oficialmente hoje (26), durante o Fórum Social Mundial, no Rio de Janeiro. Nesta edição, o FME vai enfatizar a educação ambiental, tema que nas últimas edições ficou restrito a discussões paralelas. O fórum será realizado de 27 a 30 de março, em Nova Iguaçu (RJ), mesmo município onde foi realizado em 2006.

O tema este ano será “Educação cidadã para uma cidade educadora” e a expectativa é que reúna um número de participantes maior do que na última edição, que contou com a presença de 30 mil pessoas, segundo um dos organizadores do encontro, Silvio Dias. “O principal desafio da educação hoje não é só ampliar o acesso, pois isso não basta. É preciso garantir maior qualidade ao ensino público”, destacou.

Este ano, serão três eixos principais de discussão: educação, cultura e diversidade; ética e cidadania em tempos de exclusão, e Estado e sociedade na construção de políticas públicas.

As inscrições podem ser feitas até 23 de março, pelo site do FME. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (21) 2667-1086 e 2667-1174.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

  1. Ivan Stamborowski
    Ivan Stamborowskiout 10, 2008

    legal!!!

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.