Centro de operações do Sipam participa de investigações sobre contaminação por mercúrio

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Centro de operações do Sipam participa de investigações sobre contaminação por mercúrio

Amanda Mota
Repórter da Agência Brasil

O Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) apresenta hoje (9), em Rio Branco (AC), o plano de ação proposto para efetivar a implementação do Projeto de Avaliação da Saúde Humana e Ambiente, com Ênfase em Mercúrio.

O estudo é resultado de um acordo de cooperação entre o órgão da Casa Civil da Presidência da República e o governo estadual que, por intermédio da deputada Perpétua Almeida (PCdoB), pediu apoio para investigar e descobrir a origem do mercúrio que, nos últimos meses, provocou a contaminação de diversos pacientes no estado. De acordo com a deputada, as constantes reclamações de médicos e pacientes sobre o problema foram o motivo que a levaram buscar ajuda.

O diretor operacional do Censipam, Wougran Galvão, informa que o estudo começou há alguns meses, com a parceria de órgãos governamentais e do Instituto Evandro Chagas, para nivelamento das ações em curso e acerto técnico de detalhes do projetos. O Censipam vai atuar no trabalho logístico das ações de campo, oferecendo dados, informações e tecnologia necessária para desenrolar a questão.

“É bom lembrar que o projeto não está fechado e é fruto de discussões internas e externas, que precisam ainda de um ajuste fino com consenso dos participantes para partir para a parte operacional”, disse Galvão.

Segundo ele, nesta primeira reunião não serão apresentadas conclusões, mas uma proposta para tentar trabalhar e esclarecer o assunto. A discussão envolve tanto o governo federal quanto o estadual, porque o trabalho será feito de forma integrada.

“Vamos avaliar se o plano está bem estruturado, ouvir as sugestões para aperfeiçoar o plano para então validá-lo e partirmos para a parte operacional”.

De acordo com a direção do Censipam, o estudo vai contribuir diretamente para esclarecer questões relativas à presença do mercúrio no estado, por meio da investigação da saúde humana e ambiental, inclusive o pescado, em quatro cidades do Acre. O estudo deve ser concluído em 18 meses.

“Precisamos identificar uma provável fonte da emissora do mercúrio para avaliar seu critério de sazonalidade, ou seja, se isso ocorre na estação seca, na estação chuvosa etc”.

Galvão lembra que há algumas variáveis a serem investigadas para que se possa tirar conclusões desse estudo. Ele citou como exemplo a contaminação do pescado, que exige a definição das espécies e dos rios atingidos. estão envolvidos.

“A questão geológica também precisa ser levada em conta, porque poderia contribuir para esse processo de contaminação. Tudo isso será levantado nesse estudo, nas regiões propostas”.

A existência de áreas naturais de concentração de metais não está descartada pelos técnicos do Censipam.O trabalho será executado pelo Instituto Evandro Chagas, órgão vinculado à Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, com o apoio do governo do Acre.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.