Escola Aberta vai ser usada para ensinar noções ambientais aos alunos

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Escola Aberta vai ser usada para ensinar noções ambientais aos alunos

Irene Lôbo
Repórter da Agência Brasil

O uso dos espaços das escolas públicas para passar aos alunos noções ambientais é um dos temas em discussão no Seminário Nacional Educação Ambiental na Escola Aberta, que termina amanhã (8) em Brasília. Participam do seminário técnicos do Ministério da Educação (MEC), secretários de Educação dos estados e os jovens que vão ser responsáveis por passar o conteúdo ambiental aos alunos.

O programa Escola Aberta prevê a abertura das instituições de ensino nos fins de semana nas comunidades, principalmente urbanas, onde há risco e vulnerabilidade. Segundo a coordenadora nacional do Escola Aberta, Natália Duarte, o programa aproveita o espaço público da escola para oferecer oficinas de artesanato e outros meios de lazer organizados pela própria comunidade. O programa já existe em 1.975 escolas em todo o país.

Segundo Natália, um dos objetivos do seminário é formalizar uma parceria entre o programa Escola Aberta e a Coordenação de Educação Ambiental do MEC, para implantar nas escolas as comissões de Qualidade de Vida e Meio Ambiente (Com-Vida). As comissões vão atuar junto aos estudantes e à comunidade de acordo com os preceitos defendidos pela Agenda 21, que é um programa de ações para viabilizar a adoção do desenvolvimento sustentável e ambiental racional nos municípios.

“A idéia é que neste ano a gente já consiga assegurar pelos menos 540 escolas com Com-Vidas e construir o ingresso e o trabalho a ser realizado na escola”, afirma. O Escola Aberta já tem parceria com diversos programas do governo federal, entre eles a Secretaria de Esporte e Lazer na Cidade, do Ministério dos Esportes; os programas Pontos de Cultura e Escola Viva, do Ministério da Cultura, e com os programas Escola que Protege e Conexão de Saberes, do MEC.

Segundo a coordenadora, os jovens que já participam de outros programas devem identificar nas escolas escolhidas para o programa de educação ambiental quais são as “pedras no caminho” para que os alunos alcancem a “árvore dos sonhos”. Em outras palavras, quais são as dificuldades para que os alunos estudem na escola dos sonhos.

“Para quase todos os grupos que a gente viu, a escola dos sonhos é uma escola mais alegre. Então, quais são as pedras no caminho para a escola ser mais alegre? Postura do professor, agressividade do aluno, e o que a gente pode fazer para que a escola venha a ser mais alegre? Aí se faz um planejamento de ações, como fazer mais encontros, reuniões, trabalhar na perspectiva do outro, e aí se realizam ações na construção dessa escola mais alegre”, explica Natália.

O programa de educação ambiental dentro do Escola Aberta deverá atingir todos os alunos da educação básica das escolas públicas do país. “É resgatar a escola no seu papel social, no seu papel de integração de uma comunidade, de uma instância importante de diálogo e de participação, de um espaço importante de encontros entre as pessoas, porque a escola é um dos últimos espaços públicos coletivos de diálogo”.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio Machado

Biólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.

Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.