Explosão corta 10% do fornecimento de gás boliviano para o Brasil

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Explosão corta 10% do fornecimento de gás boliviano para o Brasil

Explosão corta 10% do fornecimento de gás boliviano para o Brasil, diz estatal

Da Agência Brasil

A crise boliviana já afeta o fornecimento de gás para o Brasil. Uma explosão causou danos em parte de um gasoduto que leva o produto ao mercado brasileiro e provocou a suspensão parcial do abastecimento, segundo a empresa estatal Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB).

“Confirmamos que a explosão provocou fissuras e serão enviados 3 milhões de metros cúbicos a menos por dia ao Brasil. Serão necessários 15 dias para a reparação”, afirmou à BBC Brasil a assessoria de imprensa da empresa. O corte representa cerca de 10% do gás enviado diariamente ao Brasil.

O presidente interino da YPFB, Santos Ramírez, disse numa entrevista coletiva que se trata de um “atentado terrorista” contra a pátria e responsabilizou as autoridades departamentais (estaduais) que incentivam a pressão contra o governo central, segundo a Agência Boliviana de Informação (ABI).

Ramírez confirmou a redução de 3 milhões de metros cúbicos na exportação para o Brasil e avaliou que, com isso, o prejuízo é de cerca de US$ 8 milhões por dia. A Bolívia produz aproximadamente 40 milhões de metros cúbicos diários de gás, dos quais 31 milhões são destinados ao Brasil, 6 a 7 milhões ao mercado interno e o restante à Argentina, segundo a ABI.

A explosão ocorreu em Palmar Grande, no departamento (estado) de Tarija, segundo o presidente do Comitê Cívico de Tarija, Reinaldo Bayard. “A população ouviu uma explosão e saiu correndo”, disse à BBC Brasil. Segundo ele, outra usina (de Vuelta Grande, no caminho para a Argentina), está parada. Lá é armazenado o gás enviado para o Brasil e para a Argentina.

Ele afirmou, no entanto, que a explosão não foi obra de manifestantes dos departamentos opositores, que exigem autonomia e são contra a reforma constitucional promovida pelo governo Evo Morales. “Foi coisa do governo para nos responsabilizar”, disse. Tarija é um dos departamentos opositores, assim como Beni, Pando e Santa Cruz.

 

Brasil só deve ser afetado com redução do gás da Bolívia daqui a 48 horas, diz embaixador

Aécio Amado
Repórter da Agência Brasil

A redução do fornecimento de gás da Bolívia para o Brasil só deverá ser sentida em 48 horas, segundo o embaixador do Brasil na Bolívia, Frederico Araújo, em entrevista à Agência Brasil.

De acordo com o embaixador, como o gasoduto está compressado (com gás estocado no interior do gasoduto), a diminuição do fornecimento só será sentida em dois dias.

Frederico Araújo disse que não sabe quando o abastecimento será normalizado, mas foi informado pelas autoridades bolivianas que os técnicos da Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB), estatal de petróleo do país, já estão trabalhando para recuperar a válvula danificada.

“Danificaram apenas uma válvula, não explodiram o gasoduto como está sendo noticiado”, disse.

O embaixador informou ainda que o gasoduto que leva o gás para a Argentina também sofreu um atentado, o que também provocou a redução no fornecimento do combustível para aquele país.

Segundo Frederico Araújo, a ação ocorreu numa região conhecida como Vuelta Grande, e que medidas também já estão sendo adotadas para normalizar o funcionamento do gasoduto.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.