“Floresta Zero”

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

“Floresta Zero”

Ambientalistas condenam plantação de espécies exóticas em áreas desmatadas

Leandro Martins
Repórter da Rádio Nacional da Amazônia

Ambientalistas criticam projeto de lei que prevê a plantação de espécies exóticas em áreas desmatadas na Amazônia. O Projeto de Lei 6424/05 modifica o atual Código Florestal e permite uma redução, de 80% para 50%, da área de vegetação original que deve ser conservada em propriedades rurais. A medida obteve parecer favorável na Comissão de Agricultura e aguarda votação na Comissão de Meio Ambiente da Câmara. Depois, deve retornar ao Senado.

Para os setores ambientalistas, que apelidaram o projeto de “Floresta Zero”, a aprovação do PL pode representar riscos de desmatamento acelerado. De acordo com um dos coordenadores da Campanha da Amazônia da organização não-governamental Greenpeace, Márcio Astrini, o problema é que a compensação de áreas de reserva legal pode ser efetuada em outro local e não no que foi feito a degradação.

“Precisa ter uma composição de uma legislação, hoje, que preserve a floresta, que possa garantir o desmatamento zero na Amazônia, e que possa ao mesmo tempo garantir mais tecnologia e um melhor aproveitamento da agricultura no Brasil. Esse é o debate que tem que ser feito.” O autor do projeto, senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), diz que os ambientalistas estão determinados a impedir o desenvolvimento do país ou então, segundo ele, não compreendem o projeto.

“É uma inverdade, porque o projeto que foi apresentado é exatamente no sentido contrário. Você vai poder usar o que já está aberto, e não vai precisar abrir mais nada na Amazônia. Ele não derruba uma única árvore. Ele apenas permite, através de uma flexibilização do Código Florestal, que se faça o uso das áreas que já estão alteradas.”

Outro temor dos ambientalistas está na permissão do projeto ao cultivo de vegetação que não é original da Amazônia. Eles defendem que a medida pode permitir o cultivo de plantas prejudiciais ao ambiente.

“O eucalipto suga a água do solo e do subsolo, para poder se desenvolver, para poder crescer rapidamente, de forma muito agressiva. Inserir uma espécie dessa, numa floresta tropical como a Amazônia, pode condenar uma região inteira por esse tipo de plantação”, afirma Astrini.

Para agilizar a discussão do projeto, parlamentares e representantes dos ministérios de Meio Ambiente, Agricultura e Desenvolvimento Agrário se reuniram ontem (19) no Senado Federal. Também participaram do encontro representantes ruralistas e ambientalistas. Entretanto, não houve avanços e uma nova reunião deve ser marcada.

Agência Brasil

Sobre

- Redação AMA

Esta notícia foi selecionada pela redação do site AMAnatureza e disponibilizada aos leitores do projeto citando a fonte e créditos autorias de acordo com os direitos de divulgação estabelecidos pela instituição responsável.

Ver todas as publicações de - Redação AMA »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.