Governo lança Campanha Nacional de Proteção à Fauna

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Governo lança Campanha Nacional de Proteção à Fauna

Governo lança Campanha Nacional de Proteção à Fauna

Da Agência Brasil

Campanha Nacional de Proteção à Fauna
O Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos (Ibama) lançam ontem (16), às 15h, Campanha Nacional de Proteção à Fauna, com o objetivo mobilizar a sociedade para ajudar no combate ao tráfico de animais silvestres.

Serão utilizadas na campanha peças publicitárias como cartazes, adesivos, vídeos e quadrinhos. O material será distribuído em escolas, bibliotecas, aeroportos, feiras e outros locais públicos de grande visibilidade.

Participam do lançamento o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e o diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas do Ibama, Antonio Carlos Hummel.

 

Campanha para coibir tráfico de animais vai contar com imagens chocantes

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) vai utilizar imagens chocantes em campanha para coibir o tráfico de animais. De acordo com o ministro Carlos Minc, a idéia é conseguir o mesmo impacto das campanhas publicitárias de combate ao fumo.

“Pode até parecer mundo-cão, mas, infelizmente, as imagens e campanhas muito bonitinhas não funcionam. A gente tem que pegar pesado pra fazer efeito”, justificou.

Os cartazes da Campanha Nacional de Proteção à Fauna, lançada ontem (16), vão mostrar imagens de bichos silvestres debilitados ou até mortos com o slogan. “Isso acontece porque você compra”.

De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), por ano, cerca de 50 mil animais apreendidos em todo o país são recebidos pelos centros de triagem de animais silvestres. No entanto, estudos do MMA mostram que o comércio ilegal chega a 10 milhões de animais por ano.

De acordo com o diretor de Biodiversidade e Florestas do Ibama, Antonio Carlos Hummel, os maiores alvos do comércio ilegal de bichos silvestres no Brasil são espécies de passariformes e primatas. “O comércio de animais se aproxima do tráfico internacional de drogas, movimenta muitos milhões”, comparou.

Além das peças publicitárias, a campanha inclui o projeto “A Escola é o bicho”, em parceria com o Ministério da Educação, para capacitar professores para educação contra o tráfico de animais. “A rapaziada é mais sensível. Queremos falar com os estudantes para a informação chegar aos pais”, comentou Minc.

A parceria com organizações não-governamentais estrangeiras para conscientização de potenciais compradores de animais brasileiros e a prestação de esclarecimentos legais sobre a manutenção de animais silvestres em casa também serão abordados pela iniciativa.

“Muita gente tem um pássaro em casa, é bonitinho, canta. Mas o dono não sabe se é legal ou ilegal, se tem autorização do Ibama, se tem anilha [anel de identificação]. Vamos esclarecer esses aspectos. Isso não se resolve só com polícia, mas mexendo nos corações e nas mentes das pessoas”, apontou o ministro.

No próximo dia 1º, o ministério lançará o Livro Vermelho da Fauna Ameaçada. A edição mais recente, com dados anteriores a 2002, lista 633 espécies ameaçadas de extinção, com os grupos de invertebrados terrestres, anfíbios, répteis, aves, mamíferos, invertebrados aquáticos e peixes. “Esse número infelizmente aumentou”, adiantou Minc.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.