ONGs, movimentos sociais e entidades públicas lançam Movimento PET Consciente

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

ONGs, movimentos sociais e entidades públicas lançam Movimento PET Consciente

Da Agência Brasil

Representantes de movimentos sociais, de organizações não-governamentais e de entidades públicas lançam hoje (6), no Rio de Janeiro, o Movimento PET Consciente, a fim de alertar para os riscos do uso indiscriminado desse material em embalagens industriais e de sua liberação no meio ambiente.

Segundo o biólogo Marcelo Novaes, um dos organizadores do movimento, o objetivo é conscientizar a população sobre os riscos ao meio ambiente causados pelo consumo desenfreado de produtos com embalagens do tipo PET.

“O objetivo deste movimento é conscientizar as pessoas sobre os nossos hábitos do dia-a-dia em relação ao consumo de bebidas em garrafa PET. Apesar de haver reciclagem, ainda há uma grande quantidade que é jogada diretamente no meio ambiente.”

De acordo com o biólogo, apesar de 53% do material ser reciclado, houve um aumento significativo de produção industrial utilizando as embalagens do tipo PET.

Novaes destacou que o Brasil produziu, em 2007, 432 mil toneladas de lixo de garrafas do tipo PET liberou no meio ambiente pelo menos 200 mil toneladas. Em relação ao ano anterior, foram produzidas pelo menos 25 mil toneladas a mais.

A engenheira Adriana Filipetto, diretora do Aterro Sanitário de Nova Iguaçu, também pretende contribuir com o movimento para compartilhar a experiência de tratamento de resíduos para a geração de energia limpa. Ela defende que o lixo deve ser pensado de forma integrada.

“No aterro de Nova Iguaçu a gente deixa de emitir o gás oriundo da decomposição do lixo para transformá-lo em energia limpa. O objetivo é tentar pensar a solução para o problema do lixo e o saneamento ambiental de forma integrada. Normalmente se discutem soluções isoladas e a questão do PET é um dos principais problemas.”

O aterro bioenergético de Nova Iguaçu foi o primeiro projeto reconhecido pelo Protocolo de Quioto, em 2004, por transformar o gás em energia limpa e contribuir para o desenvolvimento sustentável da região.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

  1. Thais
    Thaisago 13, 2008

    Senhor(a)eu gostaria de saber mais sobre ongs e queria peguntar sobre as Ongs que ajudam o meio ambiente e o que elas se referem .
    é para o meu trabalho escolar .

    Aguardo o mas prócimoo …
    Agradeço deste de já

  2. lar da criança vicentina de Paulo Afonso-ba
    lar da criança vicentina de Paulo Afonso-baset 11, 2008

    se possivel informar a quem vender material,para dar sustentabilidade a entidade,já que somos do interior da ba,como fazer? agradecemos

  3. Maurí­cio Machado
    Maurí­cio Machadoset 11, 2008

    Para saber mais sobre ONGs, basta realizar uma busca interna no projeto AMAnatureza, ou realizar uma busca por toda Internet, você encontrará muito conteúdo sobre isso, Thais.


    Jà sobre a venda para manter a entidade, seria possível especificar que tipo de material vocês desejam vender?

  4. Kamilla
    Kamillamar 27, 2009

    Eu gostaria de saber o nome de ONGs que seja relacionada ao meio ambiente…
    É para um trabalho de escola.
    Obrigada!!

  5. Heitor
    Heitormaio 06, 2009

    Senhor(a) eu gostaria de um que mostrase algumas ongs que ajudam a prezervar o meio ambiente mas com mais enterece em fazesr isso. Me desculpe se eu o(a) ofendi.
    Heitor

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.