ONU vai criar grupo de crise em busca de saídas para a alta dos preços de alimentos

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

ONU vai criar grupo de crise em busca de saídas para a alta dos preços de alimentos

Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil

A Organização das Nações Unidas (ONU) vai criar um grupo de crise para responder aos problemas provocados pela subida dos preços dos alimentos em todo o mundo. A decisão foi anunciada hoje (29), em Berna (Suíça), pelo secretário-geral da organização, Ban Ki-moon.

Dirigentes de 27 agências e organismos da ONU participam de reunião fechada desde ontem (28), na tentativa de traçar um plano contra a crise. As informações são da agência Lusa.

O grupo será composto por responsáveis das agências da ONU e do Banco Mundial e ficará sob a autoridade direta de Ban Ki-moon. Ele deve recorrer a medidas de urgência e de longo prazo para suavizar os transtornos provocados pelo aumento do preço de alimentos considerados essenciais, como o trigo.

O diretor do Banco Mundial, Robert Zoellick, alertou que as próximas semanas serão críticas e garantiu que planeja criar um fundo para financiar os países mais pobres e ajudá-los em suas agriculturas.

Ban Ki-moon, por sua vez, considerou o aumento de preço dos alimentos no mercado mundial “um desafio sem precedentes”.

“Se os fundos que solicitamos aos doadores não forem cumpridos plenamente, arriscamos que a fome e a subnutrição aumentem ainda mais e que distúrbios sociais se instalem em uma escala sem precedentes”, afirmou o secretário-geral.

Na reunião da ONU, foram apontadas como causas da crise de alimentos, dentre outros, a falta de investimentos no setor agrícola, os subsídios que conturbam o comércio, os subsídios aos biocombustíveis, as más condições climáticas e a degradação do meio ambiente.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.