Polícia Federal e Ibama autuam grupo responsável por crime ambiental no Amazonas

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Polícia Federal e Ibama autuam grupo responsável por crime ambiental no Amazonas

Amanda Mota
Repórter da Agência Brasil

Pelo menos cinco pessoas, incluindo um vereador, foram autuadas pela prática de crime ambiental no município de Novo Airão (AM), localizado a 200 quilômetros de Manaus. Os infratores foram descobertos pela Operação Anavilhanas, deflagrada na terça-feira (12), pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e pela Delegacia de Repressão aos Crimes contra o Meio Ambiente e Patrimônio Histórico (Delemaph), da Superintendência da Polícia Federal no Amazonas. A operação foi solicitada pelo Ministério Público Federal do Amazonas, após as denúncias de que servidores do Ibama no município estariam sendo ameaçados e teriam sofrido atentados e agressões.

“Muitas pessoas estavam ameaçando funcionários do Ibama, chegaram a incendiar veículos e envenenar animais domésticos, tudo em represália ao trabalho que o Ibama vem desenvolvendo. É preciso entender que o trabalho do Ibama aqui na cidade é de preservação. Por isso, essa operação também vai buscar iniciativas para conscientizar a população sobre o trabalho desta instituição. Hoje pela manhã está sendo realizada uma reunião entre o poder executivo municipal, incluindo o prefeito, vice-prefeito e o secretário de meio ambiente, justamente para traçar uma política e uma estratégia para a população”, conta o delegado da Polícia Federal, Caio Porto Ferreira, responsável pela operação.

Segundo a representação do órgão ambiental em Manaus, o fato merece atenção e deve ser acompanhado pela polícia por registrar, inclusive, o espancamento de um vigilante do Ibama em Novo Airão por homens não identificados. Em nota, a assessoria do instituto informou que a operação permitiu a vistoria de mais de 20 lojas, mercados, açougues, residências e depósitos. Nos locais foram encontradas tartarugas e jabutis (quelônios, pelo nome científico) colocados irregularmente à venda.

“Na casa do vereador Evilásio Lucas do Nascimento foram encontrados ovos da espécie iaça que estavam acondicionados para consumo. O vereador foi encaminhado à sede do Ibama, onde foi montada a base da operação, para prestar depoimento aos delegados federais e receber R$ 6.500 de multa por crime ambiental. O comerciante Amadeu Costa Ferreira também foi autuado e arrolado por crime ambiental por guarda de quelônio, recebendo multa de R$ 3.500”, diz a nota.

Além de Nascimento e Ferreira, o madeireiro Eleny Costa Barbosa, foi preso em flagrante pelo porte ilegal de arma. Barbosa também detinha cinco motosseras e correntes, o que, segundo o Ibama, juntamente com as denúncias de que ele retirava madeira da estação ecológica de Anavilhanas e era um dos que ameaçou os servidores do Ibama, é suficiente para caracterizar o infrator, que em decorrência dos crimes, pode ficar mais de dez anos na prisão.

Segundo o delegado Caio Ferreira, a operação continua por tempo indeterminado. A ação vai possibilitar a fiscalização de todas as empresas madeireiras localizadas no município de Novo Airão, onde serão conferidos os estoques de madeira, as licenças ambientais e os Cadastros Técnicos Federais.

“Nessa primeira etapa, a operação deve se estender até esta sexta-feira (14) e depois terá continuidade em determinados pontos, que no momento ainda não podem ser revelados para a não atrapalhar o desencadar dessa investigação”, revela o delegado.

A região de Novo Airão, alvo da operação Anavilhanas, inclui o município de Novo Airão, a estação ecológica de Anavilhanas, o Parque Nacional do Jaú, a Área de Proteção Ambiental da Margem Direita do Rio Negro e tem influência sobre a Reserva Extrativista do Rio Unini.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio Machado

Biólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.

Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.