Poluição prejudica o Rio na disputa para ser sede das Olimpíadas, alerta ministério

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Poluição prejudica o Rio na disputa para ser sede das Olimpíadas, alerta ministério

Vladimir Platonow
Repórter da Agência Brasil

A chance de o Brasil sediar as Olimpíadas de 2016 pode ir por água abaixo se o Rio de Janeiro não melhorar os índices de poluição, principalmente quanto ao esgoto que é lançado sem tratamento nas lagoas e no oceano. O alerta foi feito ontem (8) pela secretária-executiva do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Izabella Teixeira. Ela participou de um encontro para debater os impactos que as mudanças climáticas podem trazer à cidade.

Izabella também chamou atenção para a poluição causada pelos automóveis, que podem deixar o ar da cidade esfumaçado, parecido como o de Pequim, onde se realizam os Jogos Olímpicos.

“Um dos capítulos obrigatórios pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) é a questão ambiental. Hoje, isso é uma variável decisiva, que está no centro das decisões de qualquer iniciativa global. O Rio de Janeiro tem uma beleza natural, que é um valor ambiental fantástico, mas também tem um grande desafio, que é resolver a questão do saneamento”, disse a secretária-executiva do MMA.

Para ela, o problema ambiental também está relacionado ao sistema de transportes na cidade, baseado no uso de veículos movidos à derivados de petróleo, com uma frota de automóveis crescente. “A cidade do Rio tem que caminhar na direção dos transportes coletivos, principalmente o metrô”, sentenciou Izabella.

A secretária de Ambiente do Rio, Marilene Ramos, também alertou sobre a gravidade do problema, pois o Brasil compete com outros países para trazer as Olimpíadas e problemas ambientais podem tirar pontos decisivos na disputa.

“Uma das questões que nós vamos enfocar no plano que apresentaremos no caderno de encargos em fevereiro do próximo ano é o enfrentamento das questões ambientais aqui no estado. Estamos trabalhando fortemente na construção de um pacto pelo saneamento e num plano de enfrentamento de mudanças climáticas para definir o que vamos fazer até 2016 para receber esses atletas com um estado ambientalmente melhor”, disse a secretária.

“Se nós não mostrarmos que temos condições de ter a Baía de Guanabara e as lagoas de Jacarepaguá despoluídas e qualidade do ar adequada, dificilmente nós vamos conseguir nos classificar para termos essas Olimpíadas aqui”, assinalou Marilene.

O Brasil já concorreu duas vezes para sediar as Olimpíadas, em 2004 e 2012, e foram justamente os problemas ambientais que ajudaram a tirar pontos do país.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.