População não pode adotar “postura contemplativa” em relação a mudanças climáticas

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

População não pode adotar “postura contemplativa” em relação a mudanças climáticas

Amanda Mota
Repórter da Agência Brasil

A população precisa estar atenta para os impactos das mudanças climáticas e não pode adotar apenas uma “postura contemplativa” que em nada contribui para a melhoria de situações graves. Essa é a avaliação do coordenador do Instituto Socioambiental (ISA), Márcio Santilli, responsável pela realização de um seminário que irá debater os efeitos das alterações no clima sobre a cidade de Manaus e a bacia do Rio Negro.

“A idéia é contribuir para que a população esteja informada, preparada e possa se organizar não apenas para reivindicar dos governos as medidas de políticas públicas necessárias, mas para que a própria sociedade possa se organizar da melhor forma e evitar que esses impactos sejam ainda mais danosos ao conjunto da população”, declara Santilli que cita a seca de 2005 no Amazonas como exemplo de um acontecimento ambiental de grave proporção causado por mudanças no clima.

O evento, que teve início ontem (18), tem o objetivo de consolidar respostas práticas para questões emergenciais relacionadas aos prejuízos do efeito estufa e ainda preparar as populações e os governantes dessas áreas para reduzir as conseqüências negativas desse fenômeno mundial. O seminário é promovido pelo ISA, em parceria com as Secretarias de Meio Ambiente de Manaus (Semma) e do Amazonas (SDS).

De acordo com a organização do evento, a proposta é levar o seminário para outras cidades brasileiras. Neste primeiro momento, a escolha por Manaus e pela Bacia do Rio Negro como pontos iniciais da discussão decorre de suas localizações no “coração” da Amazônia.

Além disso, segundo os organizadores, estudos científicos apontam que será o Norte do país a região mais vulnerável ao aumento da temperatura nos próximos anos, com indicações de pelo menos cinco graus – para mais – na média da temperatura local.

“A Bacia do Rio Negro é um laboratório importante para que possamos perceber essas mudanças que nos atingem de forma global. É preciso nos anteciparmos às previsões sobre aumento de temperatura na região porque as previsões científicas indicam para cá um número alto, que vai além do número previsto para o aumento da temperatura do Brasil como um todo “, acrescenta Santilli.

A secretária de Meio Ambiente de Manaus, Luciana Valente, reforça a preocupação de Santilli e diz que o aumento da temperatura é um dos impactos imediatos das mudanças climáticas, sobretudo nas áreas urbanas. Para tentar amenizar esses efeitos e também impedir seus avanços no futuro, o governo municipal implantou o Programa de Arborização Urbana que, desde 2005, promove o plantio, a distribuição de mudas de árvores e a criação de áreas protegidas para manutenção.

Além disso, de acordo com a secretária, o programa possui um componente de planejamento de Políticas Públicas de longo prazo, no qual estão sendo identificados os “gargalos” que impedem a arborização urbana.

“A idéia é estabelecer regras de uso e ocupação do solo para possibilitar que a arborização seja incluída em todo e qualquer projeto de expansão da cidade e de obras viárias para que não haja no futuro problemas que limitem a arborização nas vias públicas de Manaus”, ressalta Luciana.

O Seminário Impactos das Mudanças Climáticas sobre Manaus e a Bacia do Rio Negro vai até amanhã (quinta-feira, 20) em Manaus. Participam do encontro cientistas, pesquisadores, estudantes, representantes de instituições públicas e privadas, além de outros convidados para o evento.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.