Rio de Janeiro ganha primeiro parque de geração de energia eólica da Região Sudeste

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Rio de Janeiro ganha primeiro parque de geração de energia eólica da Região Sudeste

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

A pedra fundamental do primeiro parque de geração de energia eólica (dos ventos) do estado do Rio de Janeiro foi lançada hoje (30) no distrito de Gargaú, no município de São Francisco de Itabapoana, no Norte Fluminense.

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Júlio Bueno, afirmou que esse é o primeiro projeto de energia eólica da Região Sudeste brasileira.

Segundo ele, o investimento será de R$ 130 milhões. “Acho que a grande importância desse projeto é a diversificação da matriz energética. E é o primeiro projeto”, afirmou destacando que o governo fluminense estuda apoiar novos projetos de parques eólicos ainda este ano.

Júlio Bueno disse que a instalação de um parque eólico no Rio de Janeiro é um esforço no sentido de priorizar fontes de energia alternativa e limpa para o país. A geração eólica vai se somar às demais fontes de energia existentes no estado, como as térmicas a óleo e a gás, além das usinas hidrelétricas e nucleares.

“É importante também para o Brasil, que tem um grande potencial de energia eólica, principalmente no Nordeste. O que precisa é botar para rodar isso, pra gente acostumar com esse tipo de empreendimento”, afirmou.

O parque Gargaú de energia eólica é um empreendimento da empresa Ecopart, de capital nacional. Serão instalados 17 aerogeradores, que totalizarão uma capacidade de geração de 28 megawatts de energia, suficiente para abastecer uma cidade de 80 mil habitantes. O início das operações está previsto para o fim deste ano.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.