Sobe para 11 o número de casos confirmados de febre amarela no Distrito Federal

Todos os dias publicamos novos conteúdos e conquistamos um número cada vez maior de usuários. A equipe do portal AMA agradece a todos os usuários que acessam constantemente este site, que já é uma referência nacional sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. E lembre-se, não basta apenas conhecer os problemas, é necessário agir! Cada um fazendo sua parte, de forma consciente, ajuda a melhorar o ambiente em que todos nós vivemos.

Sobe para 11 o número de casos confirmados de febre amarela no Distrito Federal

Sobe para 11 o número de casos confirmados de febre amarela no Distrito Federal

Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil

Um dos casos suspeitos de febre amarela no Distrito Federal foi confirmado ontem (4), de acordo com o subsecretário de Vigilância em Saúde do DF, Joaquim Barros. A jovem J.N.M., de 14 anos, está com a doença, mas em situação estável. Ela mora na zona rural do Gama, na região administrativa do Distrito Federal.

Com isso, subiu para 11 o número de casos confirmados de febre amarela no Distrito Federal. Destes, três foram infectados no DF. Cinco pessoas morreram e há ainda um caso sob investigação. No DF, cerca de 1,5 milhão de pessoas já tomaram a vacina.

Segundo Barros, a Secretaria não realiza ação durante o feriado de carnaval. “Não adianta vacinar hoje”, afirmou, ao lembrar a quem se desloca para áreas de risco que são necessários dez dias para a vacina surtir efeito. A vacinação nos postos de saúde foi suspensa durante o feriado e está disponível apenas nos hospitais.

O subsecretário de Atenção à Saúde do DF, João Luiz Arantes, informou que quase toda a população já foi vacinada. Ele explicou que a opção de suspender temporariamente a vacinação nos postos de saúde foi para atender à demanda pelo atendimento a vítimas de acidentes de trânsito. Mas garantiu que o governo mantém o combate ao mosquito e acompanha os casos suspeitos.

“Independentemente de estarmos no período de carnaval e de feriado, nós temos equipes de plantão tanto da vigilância epidemiológica quanto da vigilância ambiental fazendo o combate nas áreas de risco ao mosquito. Também estamos acompanhando em todos os hospitais, tanto privados como públicos, o surgimento de algum caso suspeito”, disse.

Segundo Arantes, a procura pela vacina está pequena e os postos de saúde voltarão a fornecê-la a partir do meio-dia de quarta-feira (6). Para entrar no Parque Nacional de Brasília, conhecido como Água Mineral, é preciso apresentar o cartão de vacina. Mas, ainda de acordo com o subsecretário, o medo da febre amarela fez o movimento diminuir.

Arantes acrescentou que o governo local também não está realizando ações para orientar e prevenir turistas que vêm passar o carnaval no DF.

 

Turistas que chegam a Goiás recebem informações sobre febre amarela

Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil

Equipes das Secretarias Municipais de Saúde dos principais pontos turísticos de Goiás, como Pirenópolis e Caldas Novas, têm orientado os visitantes em relação à febre amarela. Segundo o secretário estadual de Saúde, Cairo de Freitas, a vacina também é oferecida nessas cidades, além de material educativo sobre a doença.

“A vacina está disponível, mas nós orientamos que não adianta vacinar agora”, disse Freitas, ao lembrar que a imunização só ocorre dez dias após a aplicação da vacina.

O trabalho mais intenso de vacinação, acrescentou, foi realizado antes do carnaval: “Alertamos toda a rede hoteleira para que os turistas sejam avisados e as agências de turismo, para eles virem vacinados.” Os turistas que não estão vacinados são orientados a não ir para as áreas de risco, como matas e cachoeiras.

Freitas informou que a incidência de casos de febre amarela no estado não afetou a ida de turistas para a região e que a maioria das pessoas que chega para passar o carnaval já está vacinada.

E explicou que embora o número de vacinas aplicadas já ultrapasse a população do estado, ainda existem áreas onde as pessoas não foram imunizadas. Isto porque há um alto índice de revacinação, ou seja, pessoas que tomaram a vacina há menos de dez anos procuram novamente a imunização. Por isso, de acordo com Freitas, a vacinação foi suspensa durante o carnaval no estado, com exceção dos pontos turísticos.

Até agora, 12 pessoas morreram de febre amarela no estado de Goiás. Seis pessoas foram curadas e há ainda mais 12 casos em investigação.

Agência Brasil

Sobre

Maurí­cio MachadoBiólogo e ambientalista, responsável pelo projeto AMAnatureza e articulista com fundamentos e conhecimento para discutir assuntos voltados ao meio ambiente com uma visão crítica, analisando o tema de maneira radical e completa.Ver todas as publicações de Maurí­cio Machado »

Deixar uma Resposta

Você precisa estar logado para publicar um comentário.